Nossa Senhora de Fátima – Terceiro Segredo De Fátima

 Padre Malachi Martin e o Terceiro Segredo de Fátima

Padre Malachi Martin (1921-1999)

 

Comentário da Montfort:

Publicamos, hoje, um artigo verdadeiramente sensacional, no sentido pleno dessa palavra. Embora não se possa, sem risco, dar aval total de credibilidade ao que é contado, permanece indiscutível a verossimilhança do que está dito nesse artigo, verossimilhança provocada pela grande coincidência dos fatos atuais com o que foi narrado de modo romanceado por Malachi Martin, há tantos anos. Só a leitura do Terceiro Segredo de Fátima — ainda não revelado — pode confirmar essa verossimilhança. Particularmente impressionante é o caso da reforma da Capela Paulina promovida por Bento XVI, fato de certo modo corriqueiro, mas ao qual, nos meios vaticanos, se deu uma importância muito acima ao de uma simples reforma de uma capela e de um altar…

Por quê?

Fonte original: Blog Fides et Forma

Francesco Colafemmina

Já há alguns dias, estou nos Estados Unidos a trabalho e, hoje, entrando em uma livraria caiu em minhas mãos um livro desconcertante. Trata-se da obra do Padre Malachi Martin que tem por título “Hostage to the Devil”, publicado originalmente em 1976, e depois, de novo, em 1992.

Por que esse livro é desconcertante? Muito simplesmente porque o prefácio da sua segunda edição parece ter sido escrito hoje, exatamente apoiado nos fatos destes últimos meses de escândalos de pedofilia no clero católico, de anos atrás ou mais recentes.

O Padre Malachi Martin foi um jesuíta antigo muito próximo colaborador do Cardeal Bea, durante o pontificado de João XXIII. Em seu livro, ele conta cinco casos típicos de possessões diabólicas, esclarecendo a real existência do Maligno, e aconselhando como evitar a sua penetração em nossas vidas. No prefácio à segunda edição desse seu volume, ele destacava o crescimento do fenômeno do satanismo, sua difusão capilar, sua penetração na sociedade e a exposição cada vez mais indefesa das crianças ao fenômeno satanista, em todas as suas expressões. Impressionou-me particularmente esta frase: “Pelo menos em três grandes cidades dos USA membros do clero têm à sua disposição pelo menos um coven (local de encontro para o ritual satânico) pedófilo, freqüentado e mantido exclusivamente para membros do clero”.

A atenção posta por Malacchi Martin no fenômeno da pedofilia no clero católico era evidentemente incomum naqueles anos (1992), portanto só pode causar estupefação. E é extremamente interessante descobrir que o Padre Malacchi Martin considerava que as crianças de sexo masculino fossem preferidas pelos satanistas como substitutas do Menino Jesus, na típica inversão diabólica.

Neste ponto, corroborado por outro lado pela discutida, mas reveladora declaração do Papa Bento durante o vôo para Fátima em 12 de Maio de 2010, considero que tenha chegado o momento de falar também de um outro livro do Padre Malachi Martin. Trata-se do romance (de 1996) intitulado Windswept house (A Casa Varrida pelos Ventos). É inútil procurar esse livro em italiano, não o encontrareis! De fato, esse livro jamais foi traduzido, e provavelmente isso não aconteceu por acaso. Esse volume me deixou muito curioso por causa de algumas citações encontradas na internet, assim há alguns meses encomendei uma cópia. O romance é vivido no Vaticano durante os anos noventa, e fala de modo bastante explícito de acontecimentos ligados ao pontificado de João Paulo II.

Porém, o mais interessante é uma de suas três breves premissas históricas ocorridas do ano de 1963.

Que aconteceu naquele ano?

Segundo o romance, em 29 de Junho de 1963, no Vaticano, e para ser mais preciso, na Capela Paulina foi celebrado um ritual satânico do qual participaram altos prelados, Bispos, simples sacerdotes e leigos. Segundo Malachi Martin tratava-se de realizar uma profecia do satanismo moderno que anunciava o advento da era de Satanás no momento em que um Papa tivesse assumido o nome de Paulo. O último Papa Paulo foi Camillo Borghese, morto em 1621. Em 21 de Junho de 1963 foi eleito Papa o Cardeal Montini, que assumiu o nome de Paulo VI. Malachi Martin conta, pois, que na noite entre 28 e 29 de Junho de 1963, uma semana após a eleição de Paulo VI, foi organizado esse ritual satânico no Vaticano, com a finalidade de entronizar Satanás no coração da Cristandade.

Os satanistas, porém, não podiam organizar um ritual completo: como teriam podido levar a vítima e o animal sacrifical ao Palácio Apostólico? Decidiram, pois, combinar dois ritos a serem celebrados ao mesmo tempo. Um, incruento, no Vaticano, na Capela Paulina, e outro, cruento, a ser celebrado nos USA. Os ritos aconteceriam simultaneamente, e seriam sincronizados através de telefone. Quem oficiou no Vaticano? Martin não o diz. Fala apenas de Prelados, sacerdotes e leigos. Quanto ao rito paralelo, ele é mais claro e conta que aconteceu numa Igreja paroquial da Carolina do Sul, e quem o celebrou foi um tal “Bispo Leo”. Um tal nome não deve ser casual. E, de fato, somente na diocese da Carolina do Sul encontramos, em 1964, o Bispo Ernst Leo Unterkoefler. Este, em 1963, já era Bispo titular de Latópolis, e participava ativamente do Concílio Vaticano II. Eis, pois, porque um Bispo de um estado periférico dos USA podia ter tão estreitas ligações no Vaticano, tanto que podia oferecer-se para organizar um tão abominável ritual. Mas prossigamos a narração do romance. O ritual será feito na Carolina do Sul através da violência sexual de uma menina, primeiro narcotizada e depois abusada. Na Capela Paulina, por sua vez, foi celebrado o ritual principal incruento, concluído pela leitura de uma espécie de “consagração” do Vaticano a Satanás.

Até aqui, poder-se-ia dizer que tudo isso são invenções, fantasias, criações horripilantes de um sacerdote apreciador de narrativas exageradas.

Entretanto, dever-se-ia perguntar por que Bento XVI, em Junho de 2010, tornou a consagrar a Capela Paulina, e porque quis restaurá-la, eliminando o altar antigo e fazendo construir um outro completamente novo. E poder-se-ia também perguntar por que o Padre Amorth, ainda recentemente, tenha reafirmado que no Vaticano há satanistas. Esta história também poderia explicar muito bem a famosa “fumaça de Satanás” da qual falou Paulo VI, provavelmente quando veio a saber, anos depois, daquele acontecimento.

De todo modo, eu faria questão de acrescentar que Padre Martin foi dos poucos que tiveram o privilégio de conhecer o Terceiro Segredo de Fátima, precisamente por meio de um daqueles que o leram em 1959, o Cardeal Bea, do qual ele era secretário. E ainda Malacchi Martin, mais adiante, em seu romance Windspwept house, contava, certamente, na ficção do romance, quanto se segue:

“De repente, se tornou indiscutível que, agora, durante este papado, a organização da Igreja Católica Romana trazia dentro de si uma permanente presença de clérigos que cultuavam Satanás e o apreciavam; Bispos e Padres que se sodomizavam mutuamente e sodomizavam meninos; freiras que praticavam os ‘rituais negros’ da wicca, e que viviam em relações lésbicas… [dentro e fora dos seus conventos. Subitamente, ficou claro que durante esse pontificado, a estrutura da Igreja Católica Romana tornara-se um lugar no qual] todo dia, inclusive aos domingos e dias santos, atos de heresia e blasfêmia [de ultraje e de indiferença] eram cometidos e permitidos nos Altares sagrados por homens que haviam sido chamados para serem padres. Atos e ritos sacrílegos não só eram praticados diante dos sagrados altares, mas tinham a conivência, ou pelo menos a tácita permissão de alguns Cardeais, Arcebispos e Bispos… [De repente causou escândalo porque ficou conhecida a lista de Prelados e sacerdotes envolvidos nisso.] O seu número no total era minoritário – algo como de um a dez por cento dos eclesiásticos. Mas, dessa minoria, surpreendentemente muitos ocupavam altas posições ou níveis [de grande autoridade nas chancelarias, seminários e universidades]… Os fatos que conduziam o Papa a um novo nível de sofrimento eram principalmente dois: os sistemáticos laços organizativos – noutras palavras, a rede – que fora estabelecida entre certos grupos de clérigos homossexuais e covens satanistas. E a desordenada potência e influência dessa rede.” (pp.492-493. Os textos entre colchetes foram acrescentados pelo autor do artigo e colocados pelo tradutor do artigo ao português).

Sabemos todos que freqüentemente se escolhe a via narrativa para contar fatos que seria melhor não revelar e para os quais dificilmente se conseguiria obter crédito. Entretanto, alguém me deve explicar como foi possível que Padre Malachi Martin tivesse diante de si um claríssimo quadro da situação da Igreja Católica e de uma parte da sua hierarquia, numa época na qual não se clamava ainda contra o escândalo pedófilo, quando ninguém falava dele, e quando ninguém tomava providências contra ele. Mas, sobretudo, por que Padre Malachi Martin ligava a Satanás e a seu culto o desvio moral de uma parte da Igreja?

Muito provavelmente Malachi Martin teria compartilhado as palavras do Santo Padre com relação à verdadeira natureza do Terceiro Segredo: “hoje nós o vemos de modo realmente aterrorizante e que a maior perseguição à Igreja não vem dos inimigos externos, mas nasce do pecado na Igreja. E que a Igreja tem, pois profunda necessidade de reaprender o que é a penitência, aceitar a purificação, aprender o perdão, mas também a necessidade da justiça.”

Se bem que sejam muitas as resistências que o Santo Padre sofreu e muitas as cumplicidades de silêncio (as “omertà”) também do mundo da informação que parece preferir – e talvez por cumplicidade – a vulgata [a interpretação simplista] do Cardeal Bertone à evidência quer dos fatos, quer também das palavras do Papa, creio que seja já dificilmente discutível que o Terceiro Segredo fale exatamente dessa conexão entre Satanismo e uma parte minoritária do clero católico dedicado a atos abomináveis. Quem sabia disso, como o Padre Malachi Martin, procurou toda a sua vida lançar sinais, indicar o elemento perturbante e horripilante do qual nasce a perseguição da Igreja. Ele permaneceu não acreditado e morreu em 1999, antes que explodisse nos Estados Unidos o escândalo pedófilo em todo o seu horror. Padre Malachi Martin celebrou durante toda a sua vida a Missa segundo o rito antigo. Hoje não podemos não considerá-lo uma espécie de profeta, um escritor e um sacerdote, um exorcista enfim, que há muito tempo proclamava a necessidade de uma purificação da Igreja sem demonizar o Vaticano II e sem exaltá-lo, a fim de não transformar a Igreja Católica numa sucursal do Protestantismo.

O equilíbrio e a longa previdência do Padre Malachi Martin residiam talvez na sua capacidade de observar e contar fatos. E esses fatos, hoje, nos reconduzem à pergunta ainda sem resposta: por que não foi revelado completamente o Terceiro Segredo de Fátima?

Francesco Colafemmina – “Padre Malachi Martin e o Terceiro Segredo de Fátima”

MONTFORT Associação Cultural

http://www.montfort.org.br/index.php?secao=veritas&subsecao=papa&artigo=malachi-fatima-segredo&lang=bra

 

 

Fonte: www.mariamaedaigreja.net

 

 

 

 

 

O Grande Castigo de Deus Iminente, Revelado no Terceiro Segredo de Fátima

 

*Pelo Padre Paul Kramer, B.Ph., S.T.B., M. Div., S.T.L. (Cand.)

O Grande Castigo é iminente, especialmente em seu aspecto físico, naquilo que será provocado pelo próprio homem: A Terceira Guerra Mundial. Dentro deste contexto físico, material e terrestre do Grande Castigo e segundo a profecia de Fátima, a Rússia tem o papel profético de espalhar seus erros pelo mundo, fazer guerras e provocar a aniquilação de nações.

A aniquilação de metade do mundo parece ser, no mínimo, bastante radical – pois, isso seria a maior catástrofe desde o Grande Dilúvio Bíblico. Este, porém, não é o aspecto mais terrível do castigo profetizado e embutido no Terceiro Segredo de Fátima. Além do eminente confronto nuclear entre as grandes potências terrestres numa Terceira Guerra Mundial, há também o aspecto, Cósmico, Sobrenatural e Divino do Castigo, que será enviado do Céu por Deus em

forma de um Grandioso Choque Planetário de um Grande Astro Errante do Sistema Solar com a Terra. Mas, o que é mais assustador é o aspecto religioso ou espiritual do Grande Castigo de Deus ao mundo.

A segunda parte do Segredo de Fátima, já profetizava sobre a perseguição da Igreja e do Santo Padre, assim como revelado também nas profecias de La Salete, entre outras.

Em 13 de Julho de 1917, Nossa Senhora de Fátima avisou:

“Se atenderem a Meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz; se não, (a Rússia Comunista) espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas”.

A Profecia de Bayside

Nossa Senhora das Rosas revelou à Verônica Lueken (Verônica da Cruz) em 26 de outubro de 1987:

“A Rússia planeja invadir (atacar) os Estados Unidos com Mísseis”.

“Minha filha, a última vez que falei com você, nós lhe dissemos que havia uma mensagem muito maior a ser dada para a humanidade. Esta é a mensagem: que a Rússia tem planos para invadir os Estados Unidos com mísseis!, “Há muito que vocês não sabem, meus pobres filhos, ou talvez alguns pensam que é melhor que você não saiba o que está acontecendo dentro de seus governos. Muitos dos jornais e outros meios de veiculação foram silenciados. “Mas, eu, como sua Mãe, peço intercessão por meio de Jesus ao Pai Eterno e do Espírito Santo, para poupá-lo desses terríveis castigos. Caso haja necessidade de mais almas vítimas, deixa-os ficarem satisfeitos em saber que eles foram avisados. “Minha filha, eu sei que isso tem sido um completo choque para você, mas esta mensagem tem que ir à todo o mundo. Desperte os que dormem antes que seja tarde demais”.

Na Vigília de Santa Teresa e Festa dos Anjos da Guarda, em 02 de outubro de 1987, Nossa Senhora disse:

“Consagrar a Rússia, não o mundo”.

“Quando eu vim a Fátima há muitos anos atrás, eu sabia que o comunismo iria por todo o mundo destruindo muitas nações e atacando a Igreja de Meu Filho. Portanto, eu fiz uma promessa de que, se o Papa, o Papa daqueles dias e o Papa de hoje, uniria-se com todos os

bispos do mundo, todos juntos em um só dia, para consagrar, não o mundo, mas, os bispos e o Papa vão se unir e orar para a consagração da Rússia, e não quero dizer o mundo, meus filhos; Digo Rússia – Rússia

, o flagelo da humanidade. Você vai rezar para a Rússia. Um dia deve ser alocado em que o Papa e, também, todos os bispos do mundo devem unir-se em um dia, repito, e rezar para a Rússia;.. ou a Rússia continuará a ser o flagelo de Deus. A Rússia vai continuar a ir por todo o mundo aniquilando pessoas e lugares e países”.

No 22 º Aniversário das Aparições de Nossa Senhora das Rosas em Bayside, em 18 de junho de 1992, foi dito:

“Digo-vos agora, e eu não vou dizer novamente. Esta é a última vez que você vai receber este conselho.

“Tal como no passado, Lênin, como no passado, Stálin e Khrushchev, e muitos outros tentaram enganar os Estados Unidos. Todos sentiam que, ao tentar seduzir você com delírios de que iriam deixar de lado as aspirações comunistas, que eles tinham, tornando-se como uma nação livre para todos.

Asseguro-vos, meus filhos, não há liberdade na Rússia. É tudo uma ilusão.

“Eles buscam o dinheiro do mundo, das nações do mundo, e por que não aprender uma lição.

Foi o que aconteceu na época de Lênin; Isso aconteceu no tempo de Stálin. E lá está tudo na

mesma estrada, pronto para dar milhares de milhões em dinheiro que deve ser dado aos de sua nação e as nações livres do mundo.

“Tal como no tempo de Lênin, não vos enganeis, meus filhos, a fim do Comunismo na Rússia

não é gratuito. É um ato de cosmética para iludir você. Lênin e Stálin usaram as mesmas táticas, meus filhos. Porque você não aprende com seus erros?”

*Nota de O Profeta Mundial:

*Com essas revelações, Nossa Senhora das Rosas, em Bayside, NovaYork, nos EUA, está nos alertando que o fim do comunismo na Rússia em 1991, foi apenas uma artimanha, um ardil, uma mentira, um embuste, uma ilusão muito bem planejada para enganar o mundo e principalmente os Estados Unidos, porque a Rússia tem planos de atacar e invadir os Estados Unidos com Mísseis Nucleares e consolidar o domínio do Comunismo no mundo.

Muitas mensagens proféticas nos avisam que haverá graves revoluções comunistas na Itália e na França, inclusive o próprio Vaticano será tomado pelo Comunismo, provocando a fuga do Papa para o exílio, logo depois que o Papa voltar de uma inédita viagem à Moscou na Rússia).

“Deus”, disse à Nossa Senhora que:

“Vai punir o mundo de seus crimes, por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre”.

A perseguição da Igreja que vai ter lugar, será tal como nunca antes aconteceu em toda a

história do mundo. Acontecerá o que parecia impossível, mas, é o que está anunciado na parte não publicada do Terceiro Segredo de Fátima e nas Sagradas Escrituras.

Na sua carta ao Professor Baumgartner, o Cardeal Mario Luigi Ciappi revelou:

“No Terceiro Segredo prevê-se, entre outras coisas, que a grande apostasia na Igreja começará pelo topo”.

Isto corresponde ao que o Livro das Lamentações no Antigo Testamento Bíblico, revela:

“Os reis da Terra e todos os habitantes do mundo nunca acreditariam que o adversário e o inimigo entrariam pelas portas de Jerusalém.” O que está predito é que os partidários do demônio ocuparão a Cúria Romana sob um antipapa maçônico.

Em 1998, o falecido Padre Malachi Martin disse no Art Bell Show que no início de Fevereiro de 1960, quando era Secretário do Cardeal Bea, teve a oportunidade de ler o Terceiro Segredo de Fátima, que descreveu como sendo escrito numa única folha de papel com cerca de 20 linhas.

Mais disse que as palavras de Nossa Senhora eram muito secas e específicas, e que falavam de um futuro “Papa” – um impostor que usurparia a Santa Sé de Roma, estando completamente sob o controle do demônio. Assim, o Terceiro Segredo de Fátima revela o “mistério da iniquidade” (conforme Paulo em 2 Tessalonicenses cap. 2:7). Com isso o Padre Malachi Martin revela que o Terceiro Segredo profetiza a falsa Igreja “Católica” – a contra-Igreja ou a antiIgreja -, pois, este é o mistério do Dragão (Apocalipse cap. 12), cuja cauda varreu a terça parte das “estrelas do Céu”(como revelou o Papa Bento XVI à respeito do Terceiro Segredo), isto é, a terça parte dos anjos caídos dos Céus (encarnada na terça parte da hierarquia Católica, sob a direção do Anti-Papa herético – o Falso Profeta da Besta de que fala o capítulo 13 do livro do Apocalipse ou Revelação de João.

É isto que o Papa João Paulo II revelou enigmaticamente a respeito do Terceiro Segredo em 13 de Maio de 2000, dizendo que:

“A mensagem de Fátima é um chamamento à conversão, alertando a humanidade para que não siga e não tenha nada haver com o ‘Dragão’, cuja “cauda varreu a terça parte das estrelas do Céu, e lançou-as à Terra”. (Apocalipse 12:4)”.

Quando falei com o Padre Malachi Martin sobre o Anti-Papa herético da apostasia, profetizado no Terceiro Segredo, a resposta do Padre Malachi foi: “Assim fosse só isso”.

O antipapa e os seus colaboradores apóstatas serão (como diz a Irmã Lúcia) “partidários do Demônio”, “que trabalham para o mal e não temem nada”. Estes “partidários do Demônio”, constituem a “terça parte das estrelas do Céu” varridas pela cauda do dragão para a Terra. Estes homens, que se apresentam como clérigos “católicos”, são membros secretos da seita e estão consagrados ao demônio. Chegarão a controlar o aparelho de Estado do Vaticano e a estabelecer o ramo “católico” de uma nova religião universal ecumênica. A sua “falsa Igreja”

será católica apenas no nome. Formará a parte “católica” da religião estabelecida e obrigatória da Nova Ordem Mundial. O Catolicismo autêntico será posto fora da lei, e os fiéis Católicos que restarem serão sujeitos à perseguição mais feroz que alguma vez já houve na história do mundo.

Os Católicos não serão bem-vindos na Civilização do Amor: o exclusivismo dos seus dogmas (como, por exemplo, “extra ecclesiam nulla salus”, ou seja, “Fora da Igreja não há salvação”), fará com que sejam considerados perigosos “fanáticos” e “terroristas” – uma ameaça mortal à

unidade e a “paz” ecumênicas da Nova Ordem Mundial. Assim, a verdadeira Igreja Católica será tratada como uma organização fora da lei, e uma ameaça à paz mundial. A situação da Igreja será, pois, a mesma que havia durante as perseguições romanas, quando a Igreja era

considerada uma organização subversiva e criminosa. Serão promulgadas leis penais para castigar os praticantes não-conformistas de formas “ultrapassadas” de religião pré-conciliar que ameaçam a “paz” mundial (a ordem ecumênica neo-pagã da Civilização do Amor) pelo seu apego divisivo a um exclusivismo dogmático que (como já se alega) leva à “perseguições”

inquisitoriais, guerras religiosas e cruzadas.

Oferecer-se-á aos Católicos uma alternativa, para que possam evitar as maçadas da perseguição e do martírio. A vasta maioria será levada pelo engano e cometerá apostasia. À semelhança do que hoje se passa na China, terão o seu latim, o seu incenso, a sua “Missa”, etc. – mas com a condição de estarem em comunhão com a Igreja estabelecida – com a Roma (chamada de Babilônia, A Grande Meretriz em Apocalipse cap. 17), que já nessa altura será apóstata. Serão obrigados a estar sujeitos ao Papa impostor ou usurpador do Trono de São Pedro, cuja Igreja falsa estará em comunhão com a Grande Igreja Ecumênica que unirá todas as religiões.

Os que tiverem a graça e a fortaleza de se manterem fiéis à Fé Católica recusar-se-ão a abandonar a verdadeira religião católica tradicional, e porque recusaram, serão tidos como fanáticos incorrigíveis e cismáticos obstinados. Serão desprezados por toda a parte como inimigos da Civilização do Amor, e serão acusados pelo fracasso da Nova Ordem Mundial em alcançar paz, amor, unidade e harmonia universais. O seu destino, é nos mostrado pela visão do Terceiro Segredo: “o Papa, o clero e os Católicos fiéis serão sistematicamente perseguidos e brutalmente exterminados por se recusarem a abraçar a falsa religião do Ecumenismo e da Liberdade Religiosa, princípios estes que foram vigorosa e explicitamente condenados pela Igreja Católica nas declarações pré-conciliares de Papas como Pio IX no Syllabus, Pio XI na Mortalium Animos e Gregório XVI na Mirari vos”.

São Metódio (+358) escreveu, acerca desta perseguição:

“Chegará o tempo em que os inimigos de Cristo se hão de vangloriar: “Sujeitamos a Terra e todos os seus habitantes, e os Cristãos não podem escapar das nossas mãos”.

Segundo São Cesário de Arles (469-543): “Haverá uma grande carnificina …, os altares e os templos serão destruídos …, os pastores da Igreja abandonarão os seus púlpitos, e a própria Igreja será despojada de tudo quanto é temporal”.

Particularmente significativa é a profecia do Bispo George Michael Wittman (+1833), que disse:

“Ai de mim!, Vêm aí dias tristes para a Santa Igreja de Jesus Cristo. A Paixão de Jesus será renovada da maneira mais dolorosa na Igreja e no seu Chefe Supremo. Em todas as partes do mundo haverá guerras e revoluções, e correrá muito sangue. Angústias, desastres e pobreza serão grandes por toda a parte, porque as doenças pestilenciais, a carestia e outras desgraças seguir-se-ão umas às outras.

Mãos violentas serão postas sobre o Chefe Supremo da Igreja Católica: bispos e padres serão perseguidos, e um cisma será provocado, e reinará a confusão por todas as classes. Virão tempos tão preeminentemente maus, que parecerá que os inimigos de Cristo e da Sua Santa Igreja, que Ele fundou com o Seu Sangue, estão prestes a triunfar sobre Ela …; As sociedades secretas causarão grande ruína, e exercerão um poder monetário espantoso, e através dele muitos ficarão cegos, e infectados com os erros mais horríveis: todavia, tudo isto de nada lhes valerá …, não podem abalar a rocha sobre a qual Cristo fundou a Sua Igreja: ‘Portae inferi non praevalebunt’ (“As Portas do Inferno não prevalecerão sobre ela” – Mateus 16:18)).

Anna Catarina Emmerich (1774-1824), uma freira agostinha alemã que foi estigmatizada, profetizou igualmente a vinda da “falsa Igreja da escuridão”, dizendo:

“Vi uma Igreja estranha a ser construída contra todas as regras, como sendo a nova Igreja heterodoxa de Roma. A Igreja está em grande perigo. Estão já a exigir algo dele (do Papa). A doutrina protestante e a dos Gregos cismáticos espalhar-se-ão por toda a parte. A Igreja está a ser minada com grande sagacidade. Vi que muitos pastores deixaram-se levar por ideias

perigosas à Igreja. Estavam a construir uma Igreja grande, estranha e extravagante. Toda a gente seria admitida nela para estarem todos unidos e com direitos iguais: Evangélicos, Católicos, seitas de todo o gênero. Assim viria a ser a nova Igreja”.

A Irmã Emmerich resumiu assim a sua descrição da tribulação da Igreja:

“Naqueles dias, a Fé cairá muito baixo, e só se conservará nalguns lugares, nalgumas casas e nalgumas famílias que Deus protegeu dos desastres e das guerras.”

A Igreja Católica, evidentemente, não será a verdadeira causa do fracasso da Civilização do Amor. Será assim entendido pelas nações apóstatas e infiéis do mundo, porque a Fé da Igreja constituirá o testemunho contra a ausência de Deus da Nova Ordem Mundial. Precisamente porque os apóstatas serão despojados da luz da Fé e dos dons do Espírito Santo, é que, na cegueira do seu intelecto escurecido, deixarão de compreender a verdade ensinada por Santo Agostinho: de que a Cidade do Homem, sem Deus, não pode consistir na paz porque não tem fé e é perversa na sua rebelião contra Deus, e fará com que a cólera de Deus caia sobre si.

Haverá uma grande apostasia. Está profetizada nas Sagradas Escrituras. (em Paulo 2 Tessalonicenses 2:3). Está mencionado em muitas profecias dos Santos e aparições da Santíssima Virgem Maria, e está revelado no Terceiro Segredo de Fátima. A apostasia é uma parte grande e integral daquilo a que São Paulo chamava “o mistério da iniquidade”, que já existe. (Paulo 2 Tessalonicenses 2:7).

É, de fato, um mistério, porque o mal é em si um mistério; mas não é mistério a razão por que o aparelho de Estado do Vaticano, dirigido atualmente pelo Cardeal Angelo Sodano, não quer que os fiéis católicos saibam do conteúdo do Terceiro Segredo, no que se refere à apostasia. Não é porque eles não querem que se confunda “a profecia religiosa com o sensacionalismo”, como falsamente disse o Cardeal Ratzinger em 1984.

Não é para o bem da Igreja e a salvação das almas, mas é antes para que eles não sejam censurados, e para defender a sua estratégia modernista e as suas próprias carreiras

eclesiásticas que se conluíram diabólicamente para evitar a publicação das “palavras que Nossa Senhora confiou como um Segredo aos três pastorinhos na Cova da Iria, em Fátima, Portugal, em 1917.

São eles, afinal, os que promovem os ensinamentos condenados do Ecumenismo e da

Liberdade Religiosa em nome do Concílio Vaticano II, e que querem fazer destes erros condenados a pedra angular da nova religião, a que o Cardeal Benelli chamou Igreja Conciliar, com a sua Nova Evangelização e a sua Civilização do Amor. O Terceiro Segredo de Fátima é um libelo acusatório contra eles, e crava uma estaca no coração da falsa Igreja.

Como já se faz notar, é um mistério como quase toda a Igreja caiu na apostasia. Tal coisa nunca poderia suceder numa Igreja em que os fiéis estivessem bem instruídos na Doutrina Cristã tradicional e na prática das virtudes cristãs. Não será a Nova Evangelização, mas a fidelidade à Tradição, que conservará um resto de Católicos na Fé, como explicou São Vicente de Lérins: “O que fará o Católico …, se algum novo contágio tentar envenenar, não apenas uma pequena parte da Igreja, mas toda a Igreja de uma só vez?, Nessa altura, a sua grande preocupação será manter-se ligado às coisas antigas, que já não podem ser desencaminhadas por alguma novidade mentirosa.”

Infelizmente, os Católicos hoje não estão bem instruídos na Tradição católica da antiguidade ou na ortodoxia do catecismo tradicional, mas, pelo contrário, no novo catecismo do “magistério vivo” e da “tradição viva” da Igreja Conciliar e da Nova Evangelização. A “renovação pósconciliar” que foi trazida pelo agiornamento, a implementação das reformas pós-conciliares, produziram a “perda da Fé” e a “desorientação diabólica” a que o antigo Bispo de Fátima (Dom Alberto Cosme do Amaral) e a Irmã Lúcia, se referiram como sendo o ponto central do Terceiro Segredo de Fátima.

“A desorientação é diabólica,” escreveu a Irmã Lúcia [em 29-12-1969], “não vos deixeis ser

enganados”. A desorientação é doutrinal: “nestes tempos de desorientação diabólica, não nos deixemos ser enganados por falsas doutrinas.” [12-4-1970]. É um “cancro na Igreja [29-5-1970], que afecta “sacerdotes” e “almas consagradas” que foram “desviadas”. “É triste”, escreveu a Irmã Lúcia [16-9-1970], “ver tanta desorientação, e em pessoas que ocupam cargos de responsabilidade …; São cegos que guiam os cegos”. Portanto, são os que ocupam as posições mais elevadas na Cúria Romana quem abriram caminho à Grande Apostasia.

O Padre Joaquín Alonso, que foi o arquivista oficial de Fátima durante dezesseis anos, acertou em cheio quando disse: “É, portanto, inteiramente provável que o texto (do Terceiro Segredo) faça referências concretas à crise da Fé na Igreja e à negligência dos próprios pastores,” às “lutas internas no próprio seio da Igreja e à grave negligência pastoral da hierarquia superior”.

“Poucas semanas antes de morrer”, como escreveu o Irmão Michel da Santíssima Trindade, o Padre Alonso, “prudentemente, deu a ideia de justificar o silêncio de Roma (quanto ao Terceiro Segredo) ao escrever estas linhas de uma clarividência notável:

“Uma revelação inoportuna do texto apenas exasperaria ainda mais as duas tendências que continuam a dividir a Igreja: um tradicionalismo que crê ser apoiado pelas profecias de Fátima, e um progressismo que atacaria violentamente estas aparições, que pareceriam, de uma maneira tão escandalosa, travar o progresso da Igreja conciliar. …O Papa Paulo VI julgou

oportuno e prudente adiar a revelação do texto para dias melhores. O Papa João XXIII declarou que o texto não se referia ao seu pontificado. …E os Papas seguintes (João Paulo II e Bento XVI, pois, João Paulo I nem teve tempo de esquentar o trono), consideraram que não tinha chegado o momento de levantar o véu do mistério, em circunstâncias em que a Igreja ainda não tinha superado o impacto assustador de vinte anos pós-conciliares, durante os quais a crise da Fé se instalou em todos os níveis”.

Aqui está o libelo acusatório contra o aparelho de Estado do Vaticano a respeito do Terceiro Segredo: “É a negligência dos que ocupam os cargos de autoridade mais altos que é responsável pela desorientação diabólica na Igreja, cujo resultado é que “a crise da Fé instalou-se a todos os níveis”.

É literalmente verdade que a desorientação diabólica se instalou na Igreja em todos os níveis, incluindo o mais alto nível. A prova disto é que se ensinam heresias ao mais alto nível em Roma: em nome do “magistério vivo” e da “tradição viva” da “Igreja”, o sentido e a compreensão do dogma definido estão a ser mudados.

Aqui está um dos muitos exemplos de heresia que estão a ser ensinados ao mais alto nível na Igreja, como se de doutrina católica se tratasse:

“O Catecismo Católico sempre ensinou, como parte da doutrina cristã, que o Antigo

Testamento terminava com o início do Novo Testamento, que o substituía. Esta é a doutrina da Fé universal e perpétua da Igreja Católica. É ensinada numa multidão de catecismos, manuais de doutrina cristã e tratados de teologia, aprovados pela autoridade eclesiástica e pontifícia e garantidos como estando livres de erros doutrinais. É também expressamente o ensino apostólico das Sagradas Escrituras. São Paulo, escrevendo expressamente sobre o tema da relação do Velho Testamento para com o Novo, cita Jeremias: “Contrairei com a casa de Israel, e com a casa de Judá, uma nova aliança: não como a aliança que Eu fiz com os seus pais …”

(Hebreus 8:8-9). São Paulo explica então, sob a inspiração infalível do Espírito Santo: “Chamando-a nova, Ele deu por antiquada a primeira. E o que é antiquado e envelhece, está a chegar ao fim”. (Hebreus 8:13). O fim [aphanismou], que tem o sentido de ‘destruição’. (“aphanismos: desaparecimento; destruição”). (Hebreus 8:13).

A doutrina da supersessão do Velho Testamento pelo Novo é um artigo definido da Fé Católica.

Na Profissão de Fé solene do Concílio Ecumênico de Florença, sob a autoridade do Papa Eugênio IV, lê-se:

“A sacrossanta Igreja Romana … crê firmemente, professa, e ensina que; a matéria pertencente ao Velho Testamento, da Lei Mosaica, dividida em cerimônias, ritos sagrados, sacrifícios e sacramentos, porque foram estabelecidos para significar algo no futuro, embora fossem adequados ao culto divino naquele tempo, depois da vinda de Nosso Senhor, que eles significavam; cessaram, e os sacramentos do Novo Testamento começaram; … Todos aqueles, portanto, que a partir desta altura observam a circuncisão e o dia de Sábado e as demais obrigações da lei, [a Igreja Romana], declara-os afastados da Fé Cristã e de modo algum capazes de participar na salvação eterna, a não ser que um dia abandonem estes erros. (D.S. 1348).

A nova doutrina da Igreja Conciliar opõe-se diretamente a este dogma da Fé Católica. Em 17 de Novembro de 1980, o Papa João Paulo II declarou, numa alocução à comunidade judaica de Mainz, na Alemanha, que a “Velha Aliança” nunca tinha sido “revogada por Deus”. Isto é

heresia. Continua a ser heresia, apesar de ser a doutrina “oficial” do Vaticano (do Vaticano, mas não da Igreja Católica Romana), apresentada nas Notas sobre a Maneira Correta de Apresentar os Judeus e o Judaísmo na Pregação e na Catequese da Igreja Católica Romana, de 1985.

O documento declara, no terceiro parágrafo, que o Judaísmo é uma “realidade presente”, e não uma “realidade histórica” ultrapassada. O documento cita a autoridade de João Paulo II e cita as palavras do seu discurso, acima mencionado, em que João Paulo II fala do “povo de Deus e da Velha Aliança que nunca foi revogada”. John Vennari sublinhou, num artigo recente, que: “Em vez de declarar que as Notas interpretavam mal as suas palavras, João Paulo II, pelo contrário, falou do seu apoio incondicional ao documento” em 28 de Outubro de 1985. Da mesma maneira, a Conferência Episcopal dos Estados Unidos caiu na mesma heresia no seu documento “A Misericórdia de Deus Dura para Sempre”: Diretivas sobre a Apresentação dos Judeus e do Judaísmo na Pregação Católica”. O documento cita as palavras do Papa, de que a Velha Aliança nunca fora revogada, para apoiar a heresia de que Cristo não suplantou a Velha Aliança ao estabelecer a “Nova e Eterna Aliança”. Eis aqui um exemplo, entre muitos, da desorientação diabólica ao nível mais alto da Igreja.

A Sagrada Doutrina da Fé Católica é imutável, pela sua própria natureza. Isto foi claramente declarado pelo Primeiro Concílio do Vaticano na Dei Filius (Sessão II, Cap. IV), nos seguintes termos:

Porque a doutrina da Fé, que Deus revelou, foi confiada como depósito divino à Esposa de

Cristo, para ser fielmente guardada e infalivelmente interpretada. Daqui se infere, também, que a compreensão dos seus dogmas sagrados, que a Santa Madre Igreja tem declarado, deve ser mantida perpetuamente; e nunca deve haver um recuo a partir desse significado, sob o

pretexto ilusório de uma compreensão mais profunda.

Portanto … que a compreensão, o conhecimento e a sabedoria dos indivíduos em si como de

todos, seja de um homem como de toda a Igreja, cresça e progrida fortemente com a passagem dos tempos e dos séculos; mas que tal seja apenas no seu próprio ser, ou seja, no próprio dogma, com o mesmo sentido e a mesma compreensão. (São Vicente de Lérins). [D.S. 3020].

O Papa Gregório XVI declarou a todos os Bispos do mundo católico na Encíclica Mirari vos:

“nada do que foi regularmente definido pode ser diminuído, alterado ou acrescentado, e recusa toda e qualquer alteração de sentido, ou até de palavras.” Quem quer que mude, altere ou modifique o sentido ou o significado dos artigos da Fé definidos cai na heresia e incorre no anátema promulgado pelo Primeiro Concílio do Vaticano: “Se alguém disser que é possível que se atribua, por vezes, aos dogmas declarados pela Igreja um significado de acordo com o progresso da ciência, diferente do que a Igreja compreendeu e compreende: seja anátema.” [D.S. 3043].

Notas:

1.Irmã Lúcia, carta de 29-5-1970.

2.Comunicado de imprensa do Vaticano à UPI em Fevereiro de 1960.

3.Joseph Henry Thayer; a Greek-English Lexicon of the New Testament; Grand Rapids, 1982, p.88

4.John Vennari, “The Attack on the Oberammergau Passion Play”, Parte III, Catholic Family News, Julho 2003.

 

 

 

Fonte: http://old.fatima.org/port/cr74portimp2.htm

 

 

 

Os Illuminatis, o Terceiro Segredo de Fátima e o Padre Malachi Martin

 

…Acredito que Maria não tem o destaque que merecia na Igreja Católica. Qual o motivo ?, Ela merecia mais respeito, as crianças tinham moral e não esqueceram de avisar …, todos sabemos, seu nome era: Virgem Maria!

Os Illuminatis e a Virgem Maria não poderiam estar na mesma frase, mas infelizmente vão estar neste texto. Não podemos dividir o Mundo de uma forma Maniqueísta, usando uma simples dualidade, o bem e o mal. Sou Numeróloga, mas acredito no poder de uma atitude positiva, se uma Senhora aparece e traz a bondade, eu acredito nela. Milhões acreditam na Santa Mãe!

Acredito ser ela uma figura poderosa na formação cristã, mas Roma desafiou seu desejo, coisas estranhas aconteceram.

No dia 13 de Julho de 1917 na Cova da Iria em Portugal, uma Senhora mais brilhante que o Sol,

se apresentou como a Virgem Maria a Mãe de Jesus. Ela aparecia sempre nos dias 13 e durante vários meses retornou, mas, no dia 13 de Julho ela fez a revelação dos famosos ” Três

Segredos”.

As aparições Marianas, costumam acontecer com crianças, por causa de sua pureza de coração. No caso de Fátima, essas crianças foram: Lúcia que tinha 10 anos, Francisco de 9 anos e Jacinta de 7 anos, à partir de 13 de maio de 1917.

O Número 13 é muito poderoso e traz a transformação.

A Virgem Maria, que foi chamada de “Nossa Senhora de Fátima”, e que se identificou como

sendo “A Senhora do Rosário”, deixou os Três Segredos com as crianças, à partir de 13 de Julho de 1917, avisando para breve, sobre a morte de Francisco e Jacinta. A menina Lúcia seria a guardiã dos 3 segredos, principalmente do Terceiro, que só poderia e deveria ter sido revelado depois de 1960 pelo, então, Papa João XXIII.

Guardem bem esta data: 1960!

O Primeiro Segredo: Nossa Senhora mostra o Inferno para as Crianças, cenas de sofrimento e muita dor, depois destas cenas ela conta como é possível evitar isso.

O Segundo Segredo: Trata das duas primeiras Guerras Mundiais e existe um detalhe, em 1938 realmente aconteceu uma grande aurora boreal na Europa e logo depois veio a Segunda

Guerra, e Maria alertou que isso aconteceria. Pediu a Consagração da Rússia para evitar muitas mortes e sofrimento. O Primeiro e o Segundo Segredo estão ligados.

Acredito que as Profecias de Nossa Senhora de Fátima são claras e verdadeiras. O Terceiro Segredo?

Agora entra em cena um Padre, que era um jesuíta. Os jesuítas são professores e grandes pastores da igreja. O Papa Argentino Francisco é um jesuíta. Mas, este Padre se chamava

Malachi Martin, ele fez a sua passagem em 1999. Neste momento ele não está mais aqui!, Não está vendo todos acreditando em seus escritos. Martin era um homem que conhecia muito bem os segredos da Santa Sé, escreveu vários livros, romances, mas, de um realismo arrepiante.

Os romances do Padre Martin, podem explicar o que está acontecendo hoje no Vaticano.

Em 1960 era preciso contar ao Mundo o Terceiro Segredo de Fátima como foi expressamente pedido pela Virgem Maria. A irmã Lúcia, já havia passado por duas Guerras Mundiais, e sabia dos horrores que ainda poderiam acontecer . Ela continuava pedindo a consagração da Rússia,

mas, era mantida em silencio por Roma na mais completa clausura num convento de de freiras Carmalitas descalças em Pontevedra, Portugal.

Em 1960 era chegada a hora de revelar o Terceiro Segredo, mas, quanto a isso, foi mandado que ela ficasse calada!

O Papa João XXIII, então morre, em 3 de junho de 1963, e assume em seu lugar o Papa Paulo VI. O Mundo Cristão clama pela revelação do Terceiro Segredo.

O Papa Paulo VI recebe um envelope vindo de Portugal, dentro está escrito em algumas folhas, não muitas, o Terceiro Segredo. Ele após fazer a leitura, decide não revelar. Simples assim!

A velha igreja patriarcal, desafiando a Santa Mãe de Deus?

“Homenzinhos sem moral e com muito dinheiro …, não ouviram a voz suave, que era uma lágrima.” Desculpem, mas, eram homens de pequena estatura moral mesmo.

A irmã Lúcia alertou aos seus superiores, que a Santa Mãe de Deus não estava satisfeita!

O Papa Paulo VI não só não divulgou o Terceiro Segredo, como também ignorou a consagração da Rússia, que invadiu vários países, desde a sua revolução de 1917. A “Corrida Nuclear” virou uma grande ameaça para todo o Planeta.

Voltamos ao Primeiro Segredo que era a visão do Inferno!

O mundo esteve muito perto de um conflito nuclear várias vezes. Uma dessas vezes, talvez a mais perigosa de todas, foi a chamada crise dos mísseis soviéticos em Cuba em 1963.

Em Roma Paulo VI fez um Concílio, “O Vaticano II”, que simplesmente não condenou o comunismo. Ele fez exatamente o oposto ao que a Santa Mãe de Deus pediu. Este Concílio foi uma vergonha!, Ele reconheceu a grandeza da Santa Mãe, mas, não atendeu ao seu pedido? Agora o nosso personagem, o padre jesuíta, deve voltar ao texto …

Nesta época, o Padre Martin trabalhava na Santa Sé.

Como contei antes ele escreveu “romances”, como os antigos faziam para enganar os Reis.

Nestes “romances” ele escreveu sobre o verdadeiro Terceiro Segredo: A Apostasia.

A Apostasia é renegar a sua crença ou religião, é o sacerdote renegar a sua fé, o pior dos pecados simplesmente!

Quando pensamos, que milhões já morreram por ela, pela fé. Algo assim, como entregar a Igreja do Cristo ao próprio Satanás!

E foi justamente isso que Jacinta Marto; a pequenina pastorinha de Fátima; que antes de morrer em 1920, revelou que:

“O Anticristo entrou nas mitras(*) em 1972” . (*)Mitra é uma espécie de chapéu cônico usado pelos Cardeais e Bispos do Vaticano).

Essa mesma afirmação de Jacinta, podemos observar na foto sobrenatural que o fotógrafo Robert F. bateu em 14 de setembro de 1971 com uma máquina polaroid, onde a revelação instantânea mostrou na foto, uma imagem com a inscrição “Jacinta 1972”. Jacinta, a criança

vidente de Fátima, apareceu à Verônica Lueken(*) em uma vigília, para confirmar que ela havia escrito a mensagem na pintura. Jacinta procurou atrair a atenção para a profecia que ela tinha feito antes de sua morte referente ao ano de 1972. A data refere-se ao ano em que Satã e seus agentes, através dos membros da Cúria Romana, assumiria o controle do Papado do Papa Paulo VI. Também, na palavra “Jacinta”; conforme revelou Nossa Senhora das Rosas em Bayside; encontra-se a hora, dia, mês e ano do Castigo de Deus que virá sobre toda a humanidade.

Essa fotografia sobrenatural foi um dos sinais recebidos do Céu como um registro impresso no filme de uma máquina Polaroid, durante a aparição de 14 de setembro de 1971, quando em lugar da estátua de Nossa Senhora fotografada, apareceu uma telegráfica mensagem, referente à carta que Jacinta de Fátima, pouco antes de morrer (em 1920), entregou à Irmã Godinho (que cuidava de Jacinta já enferma à mais de um ano), e que, somente em 1954, foi enviada ao Papa Pio XII. A mesma carta que, então, dizia:

“As Irmãs de sua Ordem (as clarissas) devem manter-se unidas ao Vaticano e preparar-se para

1972, já que neste ano os pecados de impureza, a vaidade e o luxo desenfreado atrairão sobre o mundo grandes castigos. Mas, logo virá o triunfo de Nosso Senhor”.

(*)Verônica Lueken (1923-1995), a famosa vidente de Bayside, distrito de Nova Iorque, EUA, começou a receber mensagens no ano de 1970, que se seguiram até 1995, ano de sua morte).

Em 1968, o próprio Papa Paulo VI declarou: “A fumaça de Satanás entrou no Vaticano por alguma fresta.”

O Terceiro Segredo é sobre a corrupção e pecados sem fim dentro da igreja católica.

O Padre Martin escreveu em um dos seus romances, que após a eleição do Papa Paulo VI, um

ritual satânico ou Illuminati, ou como queiram chamar, foi feito em uma capela em Roma. Neste dia, foi feito um pacto entre os Senhores de Roma e o próprio Satanás.

O Papado Paulo VI sofreu com muitos escândalos financeiros, e acredito que os problemas atuais no Vaticano, começaram naquela época.

Após Paulo VI falecer, João Paulo I (o Papa sorriso) foi eleito, e “33” dias depois morreu misteriosamente. Coincidência ou não, 33 é o número mais místico e oculto, cultuado entre os maçons. 33 graus tem a hierarquia maçônica.

Depois, foi eleito o Papa João Paulo II, que sofreu um grave atentado à tiros contra a sua vida, em 1981, em plena praça de São Pedro em Roma, em um dia 13 de Maio (mês do aniversário de 64 anos das aparições de Nossa Senhora do Rosário de Fátima).

Em 26 de maio do ano 2000, foi divulgado um extrato do suposto Terceiro Segredo de Fátima

pelas mãos da própria igreja, por intermédio do Cardeal Ângelo Sodano, mas, sua interpretação católica é fantasiosa demais (a interpretação que a própria igreja deu à ele, pois, talvez a parte do texto divulgado do Terceiro Segredo, seja de fato verdade). O núcleo do verdadeiro segredo é o que, verdadeiramente, está sendo revelado neste momento. O fato é que existe muita mentira em torno deste assunto.

Estranhas coincidências:

O Papa João Paulo II estava diante de uma imagem de Nossa Senhora de Fátima, quando foi baleado. Alguns alegaram que um Cardeal estava por trás do atentado ao Sumo Pontífice. Após o atentado, ele imediatamente mandou chamar a irmã Lúcia, queria conversar com ela.

Acreditou que a Santa Mãe intercedeu por sua vida, que havia um propósito, e precisava reagir.

O Papa João Paulo II sofreu o atentado em 13 de Maio de 1981 às 17:00 hs., e a primeira

aparição de “Nossa Senhora de Fátima” aos 3 pastorinhos aconteceu no dia 13 de Maio de 1917 às 17:19 hs. (1917 ao contrário). Uma das videntes de Fátima chamava-se Lúcia, conhecida por todos como Irmã Lúcia. Ali Agca (o homem que tentou matar o Papa) foi parado por uma freira, que o agarrou pelo braço, dando a chance à Polícia de o apanhar. O nome dessa mulher era irmã Lúcia.

A bala extraída do corpo do Papa João Paulo II, está encrustada na coroa de ouro da imagem de Nossa Senhora que está na capela em Fátima, Portugal, no lugar das aparições de 1917.

No dia 13 de Fevereiro de 2005, às 17:00 hs., falecia a Irmã Lúcia de Jesus Santos, com 97 anos de idade. Novamente, uma singular coincidência do dia (13) e da hora (17), com a primeira aparição de “Nossa Senhora de Fátima” (13 de Maio de 1917 às 17:19 hs.).

João Paulo II e a Irmã Lúcia, ambos faleceram em 2005.

O atentado à João Paulo II foi praticado por Mehmet Ali Agca, um Turco-Muçulmano. A coincidência aí, está no fato de o Islamismo ou Maometismo, ter sido fundado por Mouhamed ou Maomé, o Profeta Árabe, cuja filha predileta chamava-se “Fátima”. O primeiro nome do turco Ali Agca é Mehmet, uma das muitas variações do nomem Mouhamed ou Maometh ou Maomé.

O nome Fátima é muito comum entre as mulheres muçulmanas. Na África Negra utilizam-se as variantes Fatimata, Fatoumata e Fatou.

O professor Moisés Espírito Santo, no seu livro Os Mouros Fatímidas e as Aparições de Fátima,

5ª edição – trata-se da edição mais completa com novo prefácio: Lisboa, Assírio & Alvim, 2006 -281, Coleção Lusitânia Número 6, afirma que a região portuguesa de Fátima e os seus arredores está impregnada, no inconsciente coletivo, por uma cultura herdada do tempo da facção fatímida dos mouros (povos árabes do norte da África), que na época relatavam a visão de uma senhora de luz que consideravam ser Fátima, a filha de Maomé.

O Papa João Paulo II até Consagrou a Rússia, mas, não com os seus Bispos do mundo inteiro e

ao mesmo tempo, como pediu enfáticamente a Virgem de Fátima, pois, tal consagração meiaboca não tem, portanto, o menor valor, pois, não teve o efeito profetizado por Nossa Senhora do Rosário de Fátima, que é “A Conversão da Rússia”, “A Paz no Mundo” e “O Triunfo do Imaculado Coração de Maria”.

Depois da morte de João Paulo II em 2005, assumiu o Papa Bento XVI. Joseph Ratzinger (o Papa Bento XVI) era amigo pessoal de João Paulo II, e após se tornar Papa, tentou combater o

“Dragão”,mas, não conseguiu. Resolveu, então, renunciar em 28 de fevereiro de 2013, mas, teve um encontro com o novo Papa Francisco. O que será que eles conversaram???, Não sabemos!, Mas, dá pra imaginar.

O novo Papa Francisco, foi eleito em um dia “13”!

Houve um aumento de 700% no número de possessões demoníacas, desde a década de 60. Esse assunto é proibido na grande mídia!

Jesuítas por acaso?

O Padre Jesuíta Malachi Martin, nos deixou escritos muitos sinais de uma batalha terrível dentro da igreja, e talvez ele fosse um Profeta sem que soubesse disso.

O outro Jesuíta, é o atual Papa Francisco, que veio para tentar salvar a igreja e a fé de milhões, o que assim esperamos.

Padre Martin escreveu que: “o Papa que viria depois dos “Paulos” traria a Mudança”. O Papa

Bento XVI, que veio depois de Paulo VI, João Paulo I e João Paulo II (isto é, depois dos “Paulos”), mostrou para todos a verdade, e depois renunciou; tendo sido forçado à resignar. Mas, foi graças à sua coragem em renunciar, que a Mudança começou a acontecer dentro da Igreja Católica Romana. De qualquer maneira, penso que Deus sabe o que está fazendo e tanto a resignação de Bento XVI, quanto a eleição do Papa Francisco, foram preparadas pela

providência divina a fim de que se cumpra as profecias, tanto as de Fátima, como as outras tantas.

O Papa Francisco, é quem agora, precisa agir, pois, segundo a profecia de São Malaquias, do Monge de Pádua e de Garabandal, Francisco é Petrus Romanus, o Papa do Fim dos Tempos!

Nossa Senhora avisou também, que após a morte de Lúcia (esta faleceu em 2005), teríamos pouco tempo para combater o mal. A vitória do mal seria o Fim dos Tempos!

Lúcia fez a sua passagem em um “dia 13” do ano 2005.

O nome Francisco do novo Papa, nos remete a um dos pastorinhos, ao mesmo menino que viu o rosto de Nossa Senhora, e que chamava-se também Francisco.

No Brasão do Papa Bento XVI estava escrito: Colaborador da Verdade.

Fonte:  http://pressagiosenumeros.blogspot.com.br/2013/03/os-illuminatis-o-terceiro-segredode.html

O Terceiro Segredo prediz:

A Terceira Guerra Mundial, e algo pior ainda?

The Fatima Crusader entrevista o Padre Paul Kramer Introdução:

 

 

Muitos Católicos recordam-se dos comentários espantosamente sinceros da Madre Angélica na estação Eternal Word Television Network (EWTN) sobre a visão do Terceiro Segredo divulgada pelo Vaticano em 26 de Junho de 2000.

A Madre Angélica disse aos seus telespectadores em 16 de Maio de 2001:

Quanto ao Segredo, por acaso sou uma das pessoas que pensam que não nos disseram tudo … Porque acho que é assustador …

A Madre Angélica, tal como milhões de Católicos em todo o mundo, teve dificuldade em acreditar que uma visão obscura de um “Bispo vestido de branco”, a caminhar com passo incerto, passando os cadáveres de Bispos, padres e leigos fora de uma cidade meio arruinada, para depois ser executado por um grupo de soldados, fosse tudo o que continha um Segredo

que foi ocultado pelo Vaticano durante mais de quarenta anos. Para começar, onde é que estão as “palavras da Virgem” — mencionadas pelo próprio Vaticano na sua comunicação de 1960 a suprimir o Segredo — que explicariam esta visão?

Como é que o Papa e os seus Bispos vieram a encontrar-se numa situação em que foram massacrados?

A cidade meio arruinada será a cidade devastada de Roma, de que o Papa fugiu, passando pelos corpos dos seus súbditos, como se diz que São Pio X predisse na sua visão profética?

O Padre Paul Kramer, que tem estudado os factos e circunstâncias do Terceiro Segredo há cerca de trinta e cinco anos, concorda com a Madre Angélica em que o Terceiro Segredo é, de facto, assustador — e muito mais assustador do que os Católicos em geral compreenderam.

O Padre Kramer concluiu, pelas suas investigações, que o Terceiro Segredo prediz muito mais

do que a apostasia na Igreja que começa “pelo cimo,” como foi revelado pelo Cardeal Ciappi, o teólogo pessoal de cinco Papas consecutivos (de Pio XII à João Paulo II), que leu o Segredo. Isso já estava claramente indicado pelo que os estudiosos de Fátima concordam unanimemente que é o início do Terceiro Segredo, começando com as “palavras da Virgem”:

“Em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé”, ao que a Irmã Lúcia acrescentou um “etc.” para indicar que se seguiriam mais palavras de Nossa Senhora no Terceiro Segredo.

Para além disto, diz o Padre Kramer, as “palavras da Virgem” suprimidas pelo Vaticano em 1960 explicam, de fato, como o Papa acaba por ser executado fora da cidade meio arruinada. Este acontecimento é a culminação de uma série de catástrofes, incluindo não só a decisão de fazer o Concílio Vaticano II, ao que se seguiu o seu controlo por liberais modernistas nas estruturas da Igreja. O Terceiro Segredo também predisse aquilo que estamos agora a viver, ou seja, o que se seguiu ao Vaticano II. Também prediz que uma III Guerra Mundial possivelmente deixará Roma em ruínas.

Nesta entrevista a The Fatima Crusader, o Padre Kramer mostra como as palavras de Nossa Senhora que faltam devem completar umpuzzle cujas peças já se encontram em fontes

merecedoras de crédito, incluindo até o falecido Papa João Paulo II. O leitor que reze e mediteno seu coração a investigação do Padre Kramer às vozes da profecia católica que predizem o nosso futuro imediato.

Entrevista com o Padre Kramer

The Fatima Crusader (FC): Porque é que pensa que o Terceiro Segredo de Fátima revela ainda mais do que a apostasia na Igreja “começando no cimo,” como revelou o Cardeal Ciappi?

Padre Kramer: Em primeiro lugar, a “visão” do Terceiro Segredo publicada pelo Vaticano em Junho de 2000 revela uma catástrofe material, e não só espiritual: Bispos, padres, religiosos e leigos assassinados, uma cidade meio em ruínas, e o Papa a ser executado por soldados aos pés de uma grande cruz de madeira, fora da cidade meio arruinada. Recordemos a entrevista reveladora dada em 1984 pelo Cardeal Ratzinger (hoje o Papa Bento XVI) à revista Jesus, em que se referiu ao Terceiro Segredo, que confirmou ter lido. Nessa entrevista, o Cardeal revelou talvez mais do que calculava. Ligou três elementos: o Terceiro Segredo, as Sagradas Escrituras e outras aparições marianas aprovadas como autênticas pela Igreja. Como ele disse em 1984 — e eu cito-o exactamente — “o conteúdo deste ‘Terceiro Segredo’ corresponde ao que é anunciado nas Sagradas Escrituras, e que tem sido dito, muitas vezes, em várias outras apariçõres marianas …”

Portanto, não pode haver dúvidas, por o sabermos da boca do Papa atualmente reinante, de

que o que está no Terceiro Segredo corresponde ao que está nas Sagradas Escrituras e ainda ao que foi revelado por diversas vezes noutras aparições marianas. Eis a nossa chave.

É evidente que a visão do “Bispo vestido de branco” está longe de ser suficientemente explícita para conter, só por si — sem quaisquer palavras explicativas da Virgem Maria — os elementos das Sagradas Escrituras e das “várias outras aparições marianas” a que o atual Papa aludiu, quando ainda era o Cardeal Ratzinger. Na verdade, nenhuma das aparições marianas

reconhecidas se refere a uma visão de um Papa a ser executado fora de uma cidade meio arruinada. Sabemos, pois, que falta algo da maior importância no texto divulgado pelo Vaticano em Junho de 2000.

FC: Mas onde iremos descobrir o que falta?

Padre Kramer: Comecemos a nossa busca estudando o que os que leram o Terceiro Segredo disseram sobre ele; deram-nos alguma pistas muito reveladoras. Por exemplo, o falecido Malachi Martin leu o Segredo. Ouvi esta história, que foi contada por um dos seus amigos pessoais mais chegados. Um dia em 1960, Martin, que era na altura Secretário pessoal do

Cardeal Bea em Roma, seguia num automóvel com o Papa João XXIII e o Cardeal Bea. Portanto, havia quatro pessoas presentes no carro: o motorista, o Papa João XXIII, o Cardeal Bea e Malachi Martin.

Ora como Malachi Martin era Secretário pessoal do Cardeal Bea e também colaborador

próximo de João XXIII, não é de estranhar que Malachi se encontrasse nesta situação. E naqueledia de 1960, durante esta viagem de carro, o Papa João entregou o Segredo a Malachi. Estava escrito numa folha de papel — e não nas quatro páginas divulgadas pelo Vaticano em 2000.

Malachi leu o Segredo imediatamente, e depois, em muitas ocasiões, falou do Terceiro Segredo, embora tivesse jurado não divulgar explicitamente o seu conteúdo. Mas quando outras pessoas se referiam a assuntos do Segredo, ele dizia sim ou não, se isso estava no Segredo ou não.

FC: Pode dar-nos um exemplo disso?

Padre Kramer: Por exemplo, na sua última entrevista em directo, no final da década de 1990, no programa de Art Bell, perante milhões de telespectadores, Malachi disse que há algo de muito horrível no Terceiro Segredo, e admitiu que sim, que haveria uma guerra mundial e uma grande catástrofe em que muita gente morreria. Mas, acrescentou, há algo ainda mais horrível do que isto no Segredo, embora não dissesse explicitamente de que se tratava. [Nota do Editor: O Padre Kramer volta a referir-se a esta “coisa horrível” mais adiante].

FC: Já ouvimos falar há tempos de declarações feitas por João Paulo II em Fulda, Alemanha, em 1980, sobre o verdadeiro conteúdo do Terceiro Segredo. O que sabe a este respeito?

Padre Kramer: Sim, o Papa João Paulo II deu-nos uma pista sobre o que seria o conteúdo. Em Novembro de 1980, em visita à Alemanha, foi à Catedral de Fulda, e aí falou do Terceiro

Segredo a um pequeno grupo. Tinham-lhe perguntado porque é que o Segredo ainda não tinha sido revelado, e ele deu algumas respostas.

Em primeiro lugar, o Papa disse que não tinha sido revelado porque este conhecimento acarreta responsabilidades, e muita gente só quer saber por razões de curiosidade. Portanto, para evitar o sensacionalismo, não quis revelar o conteúdo do Terceiro Segredo.

Mas depois — e aqui começamos a ver que o Segredo implica ainda mais do que a apostasia na Igreja — também disse que era suficiente sabermos que grandes áreas da terra serão

inundadas, com a água a invadir grandes regiões da terra, e milhões de pessoas morrerão de um momento para o outro.

FC: O Papa disse mais alguma coisa em Fulda?

Padre Kramer: Sim, disse que outra razão para ele não querer revelar o Terceiro Segredo — e isto foi uma pista-chave na minha investigação desta questão — era que não queria levar os comunistas a tomar certas medidas. A que medidas é que poderia estar a referir-se?, Bem, podemos assumir muito claramente que uma coisa que encorajaria os comunistazs é uma

revelação de que eles ganhariam a guerra mundial a que Malachi Martin se referiu na entrevista de Art Bell.

FC: Mas como é que sabemos que as citações do que o Papa disse em Fulda são correctas?

Padre Kramer: Algumas pessoas puseram em dúvida se o Papa João Paulo II realmente fez aquelas declarações sobre o Terceiro Segredo em Fulda. Mas essa objeção não tem fundamento. Em primeiro lugar, uma jornalista tomou apontamentos de todas as palavras do Santo Padre e publicou uma transcrição numa revista chamada Stimme des Glaubens [“Voz da Fé”]. O Vaticano nunca pôs em causa a correcção das citações desse artigo. E há ainda uma segunda testemunha, um padre alemão, que também escreveu, palavra por palavra, o que o Papa disse nessa ocasião. E depois disse ao Papa que tinha feito isso, e o Papa agradeceu-lhe. Ora bem, eu falo e leio alemão, e li o texto em alemão preparado por um sacerdote, quando estava a viajar perto de Fulda em 1983. A Madre Superiora de uma comunidade de freiras alemãs mostrou-me o texto, que era idêntico ao texto que tinha sido publicado pela jornalista.

Portanto, tanto o padre alemão como a jornalista deram um testemunho idêntico sobre o que o Papa disse em Fulda.

Portanto, ou transcreveram em estenografia ou gravaram a alocução do Papa. Mas os textos eram idênticos, palavra por palavra. Assim, não acho que se possa duvidar seriamente da

autenticidade dos comentários do Papa em Fulda.

FC: Mas como é que as revelações do Papa em Fulda se relacionam com as Escrituras e com as outras aparições marianas a que se referiu o Cardeal Ratzinger em 1984?

Padre Kramer: É aqui que as peças do puzzle do Terceiro Segredo começam a encaixar umas nas outras. Primeiro, sobre as “outras aparições marianas” de que o Cardeal Ratzinger falou, temos a aparição mariana aprovada de Nossa Senhora do Bom Sucesso em Quito, Equador, em 1634.

Nesta aparição, Nossa Senhora avisou precisamente do que o Terceiro Segredo prediz: uma grande apostasia na Igreja. Nossa Senhora disse à Venerável Madre Mariana de Jesus Torres que, no final do Século XIX e na maior parte do Século XX, a Igreja cederia a uma grande

heresia. O Sacramento do Matrimônio “será atacado e profanado,” e a “Maçonaria, que então estará no poder, fará leis iníquas com o objectivo de acabar com este Sacramento, o que tornará mais fácil toda a gente viver em pecado, encorajando a procriação de filhos ilegítimos, nascidos sem a bênção da Igreja.” Depois, Nossa Senhora avisou que “O espírito cristão decairá rapidamente, extinguindo a preciosa luz da Fé, até chegar ao ponto em que haverá uma corrupção quase total e geral dos costumes, e isto resultará da falta de vocações sacerdotais e religiosas …”

Nossa Senhora do Bom Sucesso avisou ainda que, durante este tempo, “A inocência quase não se encontará nas crianças, nem a modéstia nas mulheres”, e que “o clero secular [diocesano] deixará muito a desejar, porque os padres serão descuidados no cumprimento dos seus deveres sagrados … Sem um Prelado e um Pai para os guiar com amor paternal, amabilidade, força, sabedoria e prudência, muitos padres perderão o seu espírito, colocando as suas almas em grande perigo.”

Mas a seguir, num paralelo directo com o Triunfo do Imaculado Coração, Nossa Senhora do Bom Sucesso declarou que este período tão escuro da história da Igreja “marcará a chegada da Minha hora”, e que Deus eventualmente “porá fim a esses tempos ameaçadores, enviando a esta Igreja o Prelado que irá restaurar o espírito dos Seus padres.”

Vemos aqui um paralelo próximo com o que é indubitavelmente revelado no Terceiro Segredo sobre a apostasia da Igreja, a que se seguirá, a certa altura, a Consagração da Rússia, a conversão da Rússia e, “por fim”, o Triunfo do Imaculado Coração. Os investigadores de Fátima já chegaram a acordo sobre isto no Terceiro Segredo.

FC: Concordo, mas o que diz a respeito dos outros elementos do Terceiro Segredo aludidos por João Paulo II e por Malachi Martin, e que vão além de um castigo espiritual e se referem a um castigo material, incluindo uma guerra mundial?

Padre Kramer: É precisamente aqui que as aparições marianas completam o puzzle ,

acrescentando o elemento de um castigo material ao do castigo espiritual. Em 1973, e durante vários anos seguintes, Nossa Senhora apareceu várias vezes em Akita, no Japão, e estas aparições foram autenticadas pelo Bispo local depois de oito anos de investigações. Ainda é mais revelador o facto de o Cardeal Ratzinger, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, ter decretado em 1988 que as aparições eram dignas de crédito; e ele já conhecia estas aparições quando deu a entrevista à revista Jesus.

De fato, o Catholic World News noticiou em 11 de Outubro de 2001 que Howard Dee, antigo embaixador das Filipinas no Vaticano, disse numa entrevista de 1998 à revista Inside the Vatican que o “Bispo Ito [o Bispo da diocese de Akita, já falecido] estava certo de que Akita era uma extensão de Fátima, e o Cardeal Ratzinger confirmou-me pessoalmente que estas duas mensagens, a de Fátima e a de Akita, são essencialmente idênticas.” A mesma notícia do Catholic World News fazia ainda notar que “tanto o Bispo Ito como o Cardeal Ratzinger declararam que as mensagens e acontecimentos de Akita eram de origem sobrenatural e classificaram-nos como ‘dignos de crença’.”

Tendo presentes estas espantosas afirmações do Cardeal Ratzinger, consideremos o que Nossa Senhora de Akita disse à Irmã Agnes Katsuko Sasagawa em 13 de Outubro de 1973, aniversário do Milagre do Sol, e que vou citar literalmente:

“Como te disse, se os homens não se arrependerem e melhorarem, o Pai dará um terrível castigo a toda a humanidade. Será um castigo maior do que o dilúvio, será algo como nunca se viu. Cairá fogo do céu e aniquilará grande parte da humanidade, os bons juntamente com os maus, não poupando nem padres nem fiéis. Os sobreviventes ver -se-ão tão desolados que terão inveja dos mortos. As únicas armas que vos restarão serão o Rosário e o Sinal que o Meu Filho deixou. Rezai as orações do Rosário todos os dias. Com o Rosário, rezai pelo Papa, pelos Bispos e pelos padres.

“A obra do demônio infiltrar-se-á até na Igreja, de tal maneira que se verão Cardeais contra

Cardeais, Bispos contra Bispos. Os sacerdotes que Me venerarem serão desprezados e atacados pelos seus colegas … As igrejas e os altares serão saqueados; a Igreja estará cheia daqueles que aceitam compromissos e o demônio levará muitos padres e almas consagradas a deixar o serviço do Senhor.”

Vemos aqui, pois, a combinação de dois elementos numa aparição mariana aprovada: catástrofe material e catástrofe espiritual. Vemos a apostasia na Igreja — também predita por Nossa Senhora do Bom Sucesso — acompanhada por um acontecimento cataclísmico que castigará todo o mundo.

Como já sublinhei, o Cardeal Ratzinger admitiu ao antigo embaixador das Filipinas no Vaticano que a Mensagem de Fátima e a Mensagem de Akita são essencialmente idênticas. Mas nem as duas primeiras partes do Segredo de Fátima nem a visão do Terceiro Segredo, publicada em 2000, dizem o que Nossa Senhora disse em Akita. De facto, não temos quaisquer palavras de Nossa Senhora referindo-se à visão do Terceiro Segredo. Vemos, porém, chamas que descem sobre a terra das mãos de um anjo vingador, e Nossa Senhora a desviar as chamas, enquanto o anjo exclama: “penitência, penitência, penitência.” Noto o paralelo de que o anjo mais em cima, na aparição de Nossa Senhora de Knock, brandia uma espada.

Mas chegará uma altura em que Nossa Senhora deixará de poder desviar o fogo consumidor [e a espada] da vingança do Céu?, Isto, aparentemente, é o aviso que Nossa Senhora de Akita fez em 1973, exactamente 56 anos depois do Milagre do Sol.

É, pois, claro que o que faz as duas aparições — Fátima e Akita — “essencialmente idênticas” deve encontrar-se nas palavras de Nossa Senhora de Fátima que ainda falta revelar e que correspondem às de Nossa Senhora de Akita. Estas teriam de ser as mesmas “palavras da

Virgem” que o Vaticano suprimiu em 1960, quando disse ao mundo que o Terceiro Segredo não seria revelado, quando toda a gente esperava que o fosse.

FC: Isto é espantoso. Mas o que diz sobre a questão precisa de o castigo poder incluir uma guerra mundial, entre outras calamidades que cairão sobre a Igreja e o mundo?

Padre Kramer: Aqui encontramos mais algumas peças do puzzle nas aparições marianas. Estou a referir-me às mensagens de Nossa Senhora à Irmã Elena Aiello, falecida em 1961. Ela tinha grande renome, devido às revelações que recebera de Nossa Senhora, e era muito estimada pelo Papa Pio XII, apesar de talvez não muitos americanos terem ouvido falar nela. Nossa Senhora revelou-lhe que a Rússia declararia uma guerra súbita, que invadiria toda a Europa.

Isto, ao que parece, é claramente o que o Papa João Paulo II queria evitar, ao não divulgar o Terceiro Segredo, como disse em Fulda, porque encorajaria os comunistas a tomar certas iniciativas — por outras palavras, a fazer guerra contra o Ocidente.

FC: Mas como responder à objecção de que a Rússia já não representa uma ameaça, agora que “o comunismo acabou”?

Padre Kramer: Se ler as publicações russas, como eu, verá que na própria Rússia não há nenhum mistério em relação ao que se está a passar. Está a delinear-se uma ditadura neo-Stalinista, temos jornalistas russos a queixarem-se da ditadura, fazendo abertamente perguntas como, por exemplo, se há supostamente uma democracia na Rússia, porque é que o Sr. Pútin está aberta e publicamente a preparar-se para uma guerra contra as democracias ocidentais?

E é claro que toda a evidência aponta para a conclusão de que a Rússia está a preparar-se para uma guerra contra o Ocidente. Pútin orgulha-se abertamente dos novos mísseis intercontinentais russos, que podem mudar de direcção durante o seu percurso e evitar todas as defesas anti-mísseis. A Rússia está agora muito aliada à China comunista, tendo realizado com ela uma aliança militar importante, e com as outras nações do mundo que ainda são comunistas.

Até se reconhece ao nivel do Governo dos Estados Unidos que a Rússia e a China são as

potências que ajudam os estados terroristas, porque o terrorismo é simplesmente uma táctica que está a ser usada para distrair, enfraquecer e adormecer o Ocidente em relação à verdadeira ameaça para a sua segurança.

Sobre este ponto, há outra profecia fantástica no Século XIX que parece resumir o conteúdo do Terceiro Segredo. Não estou a dizer que tenha autoridade, mas encaixa no resto do cenário. Há um livro escrito em francês, da autoria de um padre chamado Fatacioli. Não cheguei a ler olivro, mas ouvi uma gravação do texto. O nome do livro é O Dia da Ira, ou a Mão de Deus sobre um Império.

As revelações foram feitas a um judeu da Arménia, um tal Zacarias, que mais tarde foi baptizado Católico. Este livro, publicado em Paris em 1856, contém revelações (feitas a Zacarias na década de 1840) sobre as dimensões precisas do império comunista, a Rússia e a China e os seus satélites. Diz que haveria uma détente; que se faria um acordo entre o Ocidente capitalista e o Leste marxista.

Então, diz a profecia, os comunistas vencerão o Ocidente, lançando os seus mísseis —lançando os seus mísseis — e a palavra “mísseis” foi usada na década de 1840! Lançariam os seus mísseis contra as costas da América do Norte — vindos da Rússia e da China — e o mundo ocidental seria raduzido à escravidão, depois do que “o primogênito do inferno governará o mundo.”

Repito, não digo que esta profecia tenha autoridade; digo apenas que é consistente com a restante evidência que temos das grandes catástrofes previstas no Terceiro Segredo.

E esta profecia de Zacarias explicaria o que Malachi Martin disse no programa de Art Bell, como já mencionei (ver “Pode dar-nos um exemplo disso?”). Malachi disse que havia algo de

especialmente horrível no Terceiro Segredo — mais horrível do que a III Guerra Mundial. E a coisa horrível a que Malachi Martin se referiu era esta: depois da Rússia ganhar a guerra, haveria uma aparência de que o demôio derotou a Cristo.

FC: Talvez esta guerra mundial, este lançamento sseis nucleares, seja aquilo a que Nossa Senhora de Akita se refere ao dizer que cairá fogo do céu e destruirá grande parte da humanidade. Afinal, o Japão é o país onde caiu fogo do céu em Hiroshima e Nagasaki.

Padre Kramer: Isso parece lógico, mas na verdade não está correcto. O fogo que choverá do céu será um acontecimento sobrenatural, como foi predito pela Irmã Elena Aiello e pela Beata Anna Maria Taigi.

Mas agora há mais um pormenor para completar o nossopuzzle : as revelações a Anne

Catherine Emmerich, que viveu no princípio do Século XIX e que foi beatificada em Outubro de 2004 pelo Papa João Paulo II.

Nas revelações feitas à Beata Anne Catherine Emmerich, Nossa Senhora revela que haverá uma falsa igreja das trevas, enquanto que a verdadeira Igreja continua a existir. Esta falsa igreja será uma igreja ecumênica. Unirá todas as comunidades eclesiais e todas as seitas. E haverá um falso Papa e um verdadeiro Papa a reinar ao mesmo tempo, tal como aconteceu durante o Grande Cisma do Ocidente no Século XIV. Até as religiões não-cristãs terão alguma ligação a esta suposta igreja, grande à escala mundial e universal.

É espantoso que, na sua carta apostólica sobre o Movimento do Sillon em França, o Papa São Pio X tenha predito exactamente o aparecimento desta falsa religião, quando falou do “grande movimento de apostasia que está a ser organizado em todos os países para o estabelecimento de uma Igreja do Mundo Unido, que não terá dogmas, nem hierarquia, nem disciplina espiritual, nem um freio para as paixões, e que, com o pretexto da liberdade e da dignidade humana, faria voltar ao mundo (se uma tal igreja vencesse) o reinado da astúcia e da força legalizadas, e a opressão dos fracos e de todos os que trabalham e sofrem.”

Assim, a conflagração global que se avizinha estará relacionada com esta falsa Igreja do Mundo Unido, que se ergue para se opor à verdadeira Igreja.

FC: Estará disposto a fazer um prognóstico de quando tudo isto, incluindo a guerra mundial, irá acontecer?

Padre Kramer: Bem, aqui estaremos a ir além da evidência firme das aparições aprovadas e a

passar para o reino da especulação. Com base nas alegadas profecias de um padre alemão, um místico, cuja veracidade é atestada por outro padre alemão que considero totalmente

fidedigno, poderemos calcular que a guerra começaria no ano 2008 e que em 2011 far-se-ia a Consagração da Rússia e começaria o tempo de paz de que Nossa Senhora de Fátima falou. O período de castigo poderá continuar para além de 2011, mas por volta de 2013 o castigo teria acabado, e este poderia ser o ano do Triunfo do Imaculado Coração.

Ora bem, é óbvio que não podemos marcar os nossos calendários e planear a nossa vida e

decisões com base nestas datas, mas seria conveniente lembrarmo-nos do que Malachi Martin disse em 1997:

“Tudo acabará dentro de vinte anos”.

Da maneira como as coisas andam, tanto na Igreja como no mundo, não precisamos ser

profetas nem consultar quaisquer outras revelações, além das aprovadas, que já nos foram dadas, para ver que uma tal predição é muito provável.

FC: Mas quando é que o Terceiro Segredo será revelado, se for?

Padre Kramer: É claro que será revelado, porque o homem não pode esconder para sempre um Segredo confiado pelo próprio Deus à Sua Santíssima Mãe para benefício de todo o mundo. A questão não é se, mas quando será finalmente revelado.

Sem me arrogar qualquer tipo de precisão profética, posso dizer que, quando estive em Fátima em 1991, fui informado de que as Carmelitas de Fátima tinham recebido da Irmã Lúcia e das outras irmãs do convento de Coimbra a notícia de que Nossa Senhora tinha aparecido à Irmã Lúcia, não muito antes de Maio de 1991, e lhe dissera que o Terceiro Segredo seria revelado durante uma guerra importante.

Assim, começará a guerra, será uma guerra rápida, será uma guerra-relâmpago, e a verdadeira

Igreja será forçada à clandestinidade. Mas, no início desta guerra, quando o Papa compreender que já não faz sentido manter oculto o Terceiro Segredo, porque os russos já tomaram a sua decisão, revelará o texto do Terceiro Segredo que falta.

Se o Papa Bento XVI for ainda reinante na altura desta guerra, é provável que queira consagrar a Rússia, depois de revelar o Terceiro Segredo na sua totalidade, mas, como sucedeu ao Rei Luís XVI, não conseguirá fazer a Consagração a tempo, porque as calamidades terão lugar muito depressa. Não haverá um aviso prévio suficiente, e assim o Papa não poderá organizá-la a tempo. Terá de se esconder. Talvez Bento XVI seja o Papa que foge de uma Roma devastada, como São Pio X predisse, e que é finalmente abatido, como a visão do Terceiro Segredo descreve — o que Deus não permita que aconteça. Mas se acontecer, esse Papa será perseguido e morto pelas forças armadas do inimigo, tal como vemos na visão.

FC: Portanto, quem quer que seja este Papa perseguido, ou Bento ou qualquer outro Papa, não será ele que irá consagrar a Rússia, no seu parecer?

Padre Kramer: Neste ponto, referir-me-ei ao testemunho do estigmatizado romano, Antonio Ruffini. O Papa Pio XII autorizou a bênção de uma capela no local da Via Ápia onde Ruffini

recebeu os estigmas, e o Padre Tomaselli, o milagreiro, escreveu um folheto sobre ele — uma breve descrição da vida de Ruffini. Eu mesmo conheci Ruffini durante muitos anos.

No início da década de 1990, perguntaram diretamente a Ruffini em sua casa:

“João Paulo II é o Papa que irá fazer Consagração da Rússia?”, ou seja, João Paulo II é

o Papa quem fará a Consagração da Rússia?, E ele respondeu: “Não, não é João Paulo. Também não será o seu sucessor imediato (Quer dizer: Bento XVI), mas o que vier a seguir (isto é, O atual Papa Francisco). Esse é que irá consagrar a Rússia.”

Quer dizer, o sucessor de Bento XVI, neste período de guerra mundial e de perseguição da Igreja, será quem, finalmente, fará a Consagração da Rússia, e então começará a restauração e o Triunfo do Imaculado Coração de Maria.

FC: Como poderá resumir tudo isto?

Padre Kramer: A partir das provas que já discutimos, pelo menos isto parece claro: a Igreja

sofrerá uma grande apostasia que afectará muitos dos seus membros, o que é bem claro que já começou. depois virá uma guerra mundial em que gtrande parte da população mundial morrerá, a Igreja será perseguida como nunca dantes foi e será forçada à clandestinidade, e a

própria Roma será possivelmente devastada. Este cenário enquadra-se perfeitamente na visão do Terceiro Segredo, em que o Papa é executado e importantes clérigos e leigos serão

massacrados numa cidade meio arruinada. E é por isto que o Cardeal Ratzinger, quando falou do Terceiro Segredo em 1984, mencionou os perigos “que ameaçam a Fé e a vida do Cristão, e, consequentemente, [a vida] do mundo.” Tanto a Igreja como o mundo sofrerão uma catástrofe. E como o Cardeal Ratzinger admitiu que Fátima e Akita são essencialmente a mesma Mensagem, nenhuma outra conclusão parece ser razoável.

Assim, se considerarmos as aparições de Nossa Senhora do Bom Sucesso, de Nossa Senhora de Fátima e de Nossa Senhora de Akita, as declarações de João Paulo II em Fulda, as confissões do Cardeal Ratzinger e do Cardeal Ciappi e as revelações de Malachi Martin, tudo vai dar à mesma coisa: a apostasia na Igreja, que leva a um horrível castigo global, sendo grande parte da população mundial aniquilada quase instantaneamente.

FC: Então não há esperança?

Padre Kramer: Pelo contrário, como Nossa Senhora do Bom Sucesso disse, há grandes razões

para termos esperança, mesmo que não evitemos que o pior aconteça. De facto, Nossa Senhora de Fátima disse que o seu Imaculado Coração triunfará, mesmo que a Consagração da Rússia seja feita muito tarde.

Mesmo se o pior acontecer, as nações que outrora foram católicas descobrirão de novo a sua Fé no meio da perseguição e da desolação que a guerra trouxe a todo o mundo. Então, o Papa consagrará a Rússia ao Imaculado Coração e a Rússia converter-se-á. Os invasores asiáticos e islâmicos serão expulsos da Europa [Nota do Editor: Com a ajuda dos invasores russos convertidos. Cf. a profecia de São João Bosco, explicada em Fatima: Tragedy and Triumph, pp. 319-355]. Deus intervirá e veremos então o Triunfo do Imaculado Coração de Maria.

Mas fica uma pergunta: Como as profecias de Nossa Senhora ainda são condicionais,

evitaremos o pior do que está profetizado antes de ocorrer o Seu Triunfo? Ou teremos primeiro que sofrer todas as consequências? O que há-de vir depende inteiramente do Papa e dos Bispos fazerem o que Nossa Senhora de Fátima pediu, o que, por sua vez, depende de os Bispos, padres, religiosos e leigos rezarem e fazerem bastante penitência e reformarem as suas vidas.

Fonte: http://www.fatima.org/port/crusader/

LINK PARA ESTA PÁGINA: https://sites.google.com/site/oprofetamundial2/

 

 

 

 

 

Testemunhos publicados:

 

A carta da Irmã Lúcia (1982)

A Irmã Lúcia referiu-se ao Terceiro Segredo numa carta alegadamente enviada ao Papa João Paulo II1, datada de 12 de Maio de 1982. Escreveu ela:

A terceira parte do segredo refere-se às palavras de Nossa Senhora: ‘Se não, [a Rússia] espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas.’

A terceira parte do segredo, que tanto ansiais por conhecer, é uma revelação simbólica que se refere a este trecho da Mensagem, condicionada a se, sim ou não, nós aceitamos ou não o que a Mensagem nos pede: ‘Se atenderem a Meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz; se não, espalhará seus erros pelo mundo’, etc.’

Porque não temos atendido a este apelo da Mensagem, verificamos que ela se tem cumprido, a Rússia foi invadindo o mundo com seus erros. E se não vemos ainda o facto consumado do final desta profecia, vemos que para aí caminhamos a passos largos.2  Se não recuamos no caminho do pecado, do ódio, da vingança, da injustiça, atropelando os direitos da pessoa humana, da imoralidade e da violência, etc.

E não digamos que é Deus que assim nos castiga, mas sim que são os homens, que para si mesmos se preparam o castigo. Deus apenas nos adverte e chama ao bom caminho, respeitando a liberdade que nos deu; por isso, os homens são responsáveis.3

Esta carta de 1982 não faz qualquer referência à tentativa de assassínio do Papa João Paulo II em 1981; e muito menos caracteriza o atentado como uma espécie de realização do Terceiro Segredo. O aviso da Irmã Lúcia de que “para aí caminhamos [para se realizar a parte final do Segredo de Fátima] a passos largos” demonstra que o Terceiro Segredo, longe de predizer a tentativa de assassínio do Papa João Paulo II, que ocorrera no ano anterior, aponta para a profecia ainda não realizada do grande castigo mundial num futuro não distante. É evidente que, um ano depois do atentado, a Irmã Lúcia continuava a preocupar-se com um castigo global, em consequência de a Igreja não ter atendido aos imperativos da Mensagem de Fátima. Certamente não estava, na véspera da consagração do mundo (e não especificamente da Rússia), a referir-se ao triunfo do Imaculado Coração, mas antes ao aniquilamento de nações.

Notas:

 

  1. Esta carta foi reproduzida em A Mensagem de Fátima, o comentário da Congregação para a Doutrina da Fé sobre a visão revelada pelo Vaticano em 26 de Junho de 2000. Comparando cuidadosamente o texto manuscrito da Irmã Lúcia, reproduzido no original em português, com as versões divulgadas pelo Vaticano (inglesa, italiana e portuguesa), verifica-se que uma frase crucial, que prova que esta carta não podia ter sido escrita ao Papa, foi omitida

das três versões. Para uma análise mais pormenorizada das provas que indicam que esta carta não foi escrita ao Papa João Paulo II, veja-se o segundo ponto de 12 de Maio de 1982 em “Apêndice: Uma cronologia do encobrimento de Fátima”, O derradeiro combate do demónio.

  1. Seguimos a tradução publicada na p. 9 de A Mensagem de Fátima (edição do Cardeal Ratzinger e Monsenhor Bertone, com data de 26 de Junho de 2000), corrigida pelo texto português divulgado pelo Vaticano.

  1. A Mensagem de Fátima (26 de Junho de 2000), Congregação para a Doutrina da Fé, pp. 8-9.

Artigos relacionados:

 

Apêndice: Uma cronologia do encobrimento de Fátima Na série “Testemunhos publicados”:

O Padre Fuentes (1957)    Neues Europa (1963)

O Padre Alonso (1975-1981)    O Papa João Paulo II em Fulda, Alemanha (1980)

O Bispo de Fátima (10 de Setembro de 1984)    O Cardeal Ratzinger (Novembro de 1984)

Outras testemunhas (1930’s – 2003)

 

Fonte: www.fatima.org

 

   

Testemunhos publicado

     O Bispo de Fátima (10 de Setembro de 1984)

Em 10 de Setembro de 1984, o Bispo de Leiria-Fátima, D. Alberto Cosme do Amaral, falou do Terceiro Segredo durante uma sessão de perguntas e respostas na Universidade Técnica de Viena, Áustria. Os seus comentários, que foram publicados no número de Fevereiro de 1985 da Mensagem de Fátima, foram os seguintes:

O Segredo de Fátima não fala de bombas atómicas, nem de ogivas nucleares, nem de mísseis Pershing, nem de SS-20’s. O seu conteúdo diz respeito, unicamente, à nossa Fé. Identificar o Segredo com anúncios catastróficos ou com um holocausto nuclear é deformar o sentido da mensagem. A perda da Fé de um continente é pior do que o aniquilar de uma nação; e a verdade é que a Fé está continuamente a diminuir na Europa.1

É importante sublinhar que, como parte da tentativa generalizada de esconder e suprimir a verdade sobre Fátima, o Bispo D. Alberto Cosme do Amaral sofreu pressões para desmentir os seus comentários pouco tempo depois de os fazer. Mas dez anos mais tarde, já aposentado e em segurança, o Bispo casualmente reafirmou o seu depoimento numa entrevista pública, dada em 1995, e acrescentou uma prova crucial: “Anteriormente disse em Viena (em 1984) que o Terceiro Segredo só dizia respeito à nossa Fé e à perda da Fé. Consultei a Irmã Lúcia e obtive dela a aprovação prévia.”

Notas:

 

  1. Frère Michel de la Sainte Trinité, The Whole Truth About Fatima, Volume III: The Third Secret, (Immaculate Heart Publications, Buffalo, New York, 1990) pp. 675-676.

Artigos relacionados:

Na série “Testemunhos publicados”: O Padre Fuentes (1957)   Neues Europa (1963)

O Padre Alonso (1975-1981)  O Papa João Paulo II em Fulda, Alemanha (1980)

A carta da Irmã Lúcia (1982)   O Cardeal Ratzinger (Novembro de 1984)

Outras testemunhas (1930’s – 2003)

Fonte: www.fatima.org

http://www.fatima.org/port/thirdsecret/bishfatima.pdf

Testemunhos publicados:

O Padre Alonso (1975-1981)

O Padre Joaquín Alonso, que foi arquivista oficial de Fátima durante dezasseis anos, escreveu uma obra monumental sobre a Mensagem de Fátima, intitulada Textos e estudos críticos sobre Fátima. Este trabalho, que compreende24 volumes contendo

5.396 documentos, foi completado em 1975 mas a sua publicação foi impedida pelo Bispo de Leiria-Fátima, D. Alberto Cosme do Amaral. Desde então, só dois dos 24 volumes foram publicados, mas estes foram profundamente censurados.

Antes do seu falecimento em 1981, o Padre Alonso exprimiu as seguintes conclusões importantes a que chegara acerca do Terceiro Segredo:

Seria, então, de toda a probabilidade que […] o texto faça referências concretas à crise da Fé na Igreja e à negligência dos seus próprios pastores [e às] lutas intestinas no seio da própria Igreja e graves negligências pastorais por parte das altas hierarquias.1

No período que precede o grande triunfo do Imaculado Coração de Maria, sucederão coisas tremendas que são objecto da terceira parte do Segredo. Que coisas serão essas? Se ‘em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé,’ […] pode claramente deduzir-se destas palavras que, em outros lugares da Igreja, esses dogmas vão tornar-se obscuros ou chegarão mesmo a perder-se.2

Assim, é muito possível que, neste período intermédio em questão (depois de 1960 e antes do triunfo do Imaculado Coração de Maria), o texto faça referências concretas à crise da Fé da Igreja e à negligência dos seus próprios pastores.3

Falaria o texto original (e inédito) de circunstâncias concretas? É muito possível que não só fale de uma verdadeira ‘crise de Fé’ na Igreja durante este período intermédio, mas ainda, como acontece com o segredo de La Salette, por exemplo, que haja referências mais concretas às lutas internas dos Católicos ou às deficiências de sacerdotes e religiosos. Talvez se refira, inclusivamente, às próprias deficiências da alta hierarquia da Igreja. Por isso, nada disto é alheio a outros comunicados que a Irmã Lúcia tenha feito sobre este assunto.4

O Padre Alonso também acreditava que o Terceiro Segredo dizia respeito a “lutas intestinas no seio da própria Igreja e graves negligências pastorais por parte das altas hierarquias,” e a “deficiências da alta hierarquia da Igreja.”

É significativo o facto de a Irmã Lúcia nunca ter corrigido estas conclusões do Padre Alonso, apesar de nunca ter hesitado em corrigir outras declarações de eclesiásticos e de vários autores sobre Fátima quando estavam erradas. Como arquivista oficial de Fátima, o Padre Alonso teve acesso aos documentos e à própria Irmã Lúcia.

Por isso, o seu depoimento é de importância capital.

 

Notas:

 

  1. Frère Michel de la Sainte Trinité, The Whole Truth About Fatima, Volume III: The Third Secret, (Immaculate Heart Publications, Buffalo, New York, 1990) p. 704.

  1. Ibid., p. 687.

  1. Ibid.

  1. Ibid., pp. 705-706.

Artigos relacionados:

Na série “Testemunhos publicados”: O Padre Fuentes (1957)    Neues Europa (1963)

O Papa João Paulo II em Fulda, Alemanha (1980)   A carta da Irmã Lúcia (1982)

O Bispo de Fátima (10 de Setembro de 1984)    O Cardeal Ratzinger (Novembro de 1984) Outras testemunhas (1930’s – 2003)

 

Fonte: www.fatima.org

 

 

Testemunhos publicados:

 

O Padre Fuentes (1957)

Em 26 de Dezembro de 1957, o Padre Agustín Fuentes entrevistou a Irmã Lúcia no seu convento em Coimbra, Portugal. Mais tarde, tendo obtido o imprimatur e a aprovação do Bispo de Fátima, o Padre Fuentes publicou as seguintes revelações sobre o Terceiro Segredo, que a Irmã Lúcia lhe confiou durante aquela entrevista:

Extracto da entrevista com a Irmã Lúcia

 

Senhor Padre, a Santíssima Virgem está muito triste por ninguém fazer caso da Sua Mensagem, nem os bons nem os maus: os bons, porque continuam no seu caminho de bondade, mas sem fazer caso desta Mensagem; os maus, porque, não vendo que o castigo de Deus já paira sobre eles por causa dos seus pecados, continuam também no seu caminho de maldade, sem fazerem caso da Mensagem. Mas creia-me, Senhor Padre, Deus vai castigar o mundo, e vai castigá-lo de uma maneira tremenda. O castigo do Céu está iminente.

Senhor Padre, o que falta para 1960? E o que sucederá então? Será uma coisa muito triste para todos, não uma coisa alegre, se antes o mundo não fizer oração e penitência. Não posso detalhar mais, uma vez que é ainda um Segredo. …

Esta é a terceira parte da Mensagem de Nossa Senhora, que ainda permanece em segredo até essa data de 1960.

Diga-lhes, Senhor Padre, que a Santíssima Virgem repetidas vezes, tanto aos meus primos Francisco e Jacinta como a mim, nos disse: que muitas nações desaparecerão da face da terra, que a Rússia seria o instrumento do castigo do Céu para todo o mundo, se antes não alcançássemos a conversão dessa pobre nação.

Senhor Padre, o demónio está travando uma batalha decisiva contra a Virgem Maria. E como sabe que é o que mais ofende a Deus e o que, em menos tempo, lhe fará ganhar um maior número de almas, trata de ganhar para si as almas consagradas a Deus, pois que desta maneira deixa também o campo das almas desamparado e mais facilmente se apodera delas.

 

O que aflige o Imaculado Coração de Maria e o Sagrado Coração de Jesus é a queda das almas dos Religiosos e dos Sacerdotes. O demónio sabe que os religiosos e os sacerdotes que caem da sua bela vocação arrastam numerosas almas para o inferno.

O demónio quer tomar posse das almas consagradas. Tenta corrompê-las para adormecer as almas dos leigos e levá-las deste modo à impenitência final.1 (Para o texto completo da entrevista, cf. Silenciando os Mensageiros: O Padre Fuentes (1959 – 1965).

O texto acima transcrito é extremamente grave. As palavras da Irmã Lúcia recordam a essência das duas primeiras partes do Segredo de Fátima (cf.  A Primeira

Parte” e “A Segunda Parte”), mas ela também fala de novos temas. Estes novos temas relacionam-se muito provavelmente com o Terceiro Segredo (cf. “A Terceira Parte), e são, na verdade, os mesmos que notáveis investigadores sobre Fátima, incluindo Frère Michel de la Sainte Trinité, concluíram estar contidos no verdadeiro Terceiro Segredo de Fátima.

Além disso, a apreensão exprimida pela Irmã Lúcia sobre o futuro do mundo – sobre o “iminente” “castigo do Céu” – é marcante e revelador. Para uma discussão mais pormenorizada dos assuntos relacionados com o Terceiro Segredo a que a Irmã Lúcia se referiu nesta entrevista com o Padre Fuentes, veja-se “O Autentico Terceiro Segredo”.

Notas:

 

  1. Frère Michel de la Sainte Trinité, The Whole Truth About Fatima, Volume III: The Third Secret, (Immaculate Heart Publications, Buffalo, New York, 1990) pp. 504-505; do texto original em espanhol, publicado por Alonso, Rev. Joaquín, La verdad sobre el Secreto de Fátima, Fátima sin mitos, Ediciones Sol de Fátima, Madrid, 2ª edição, 1988, pp. 104-105.

Artigos relacionados:

 

Silenciando os Mensageiros: O Padre Fuentes (1959 – 1965)

O Autentico Terceiro Segredo

De “O Segredo em três partes”:

A Primeira Parte

A Segunda Parte

A Terceira Parte

Na série de “Testemunhos publicados”:

Neues Europa (1963)   O Padre Alonso (1975-1981)

O Papa João Paulo em Fulda, Alemanha (1980)   A carta da Irmã Lúcia (1982)

O Bispo de Fátima (10 de Setembro de 1984)    O Cardeal Ratzinger (Novembro de 1984) Outras testemunhas (1930’s – 2003)

 

Fonte: www.fatima.org

      Testemunhos publicados:

             O Papa João Paulo II em Fulda, Alemanha (1980)

O número de Outubro de 1981 da revista alemã Stimme des Glaubens referiu-se a uma troca de impressões que o Papa João Paulo II teve com um grupo escolhido de Católicos alemães em Novembro de 1980. O que se segue é um relatório fiel dessa troca de impressões:1

 

Texto do relatório publicado

 

Perguntaram ao Santo Padre: “O Terceiro Segredo de Fátima não devia já ter sido publicado por volta de 1960?”

O Papa João Paulo II respondeu: “Dada a gravidade do seu conteúdo, os meus antecessores na cadeira de Pedro preferiram diplomaticamente adiar a publicação, para não encorajar o poder mundial do Comunismo a tomar certas atitudes.

“Por outro lado, é suficiente todos os Cristãos saberem isto: se há uma mensagem em que está escrito que os oceanos inundarão vastas áreas da terra, e que, de um momento para outro, milhões de pessoas morrerão, certamente a publicação de uma tal mensagem já não é algo muito desejável.”

O Papa continuou: “Muita gente quer saber apenas por curiosidade e por gosto do sensacional, mas esquecem-se de que o conhecimento também implica responsabilidade. Só procuram satisfazer a sua curiosidade, e isso é perigoso se, ao mesmo tempo, não estão dispostos a fazer alguma coisa, e se estão convencidos de que é impossível fazer qualquer coisa contra o mal.”

Nesta altura, o Papa pegou num Terço e disse: “Aqui está o remédio contra esse mal. Rezem, rezem e não peçam mais nada. Deixem tudo o resto à Mãe de Deus.”

Perguntaram então ao Santo Padre: “O que irá acontecer à Igreja?”

Ele respondeu: “Devemos prepara-nos para sofrer grandes trabalhos dentro de não muito tempo, trabalhos tais que exigirão de nós uma disposição para dar até as nossas vidas, e uma dedicação total a Cristo e por Cristo … Com as vossas e as minhas orações é possível mitigar esta tribulação, mas já não é possível evitá-la, porque só assim pode a Igreja ser efectivamente renovada. Quantas vezes a renovação da Igreja proveio do sangue! Desta vez, também não será de outra maneira. Devemos ser fortes e estar preparados, e confiar em Cristo e na Sua Mãe, e rezar o Rosário com muita, muita assiduidade.”

 

O que significa

 

Quando o Papa João Paulo II falou em Fulda, ainda não tinha sido vítima do atentado de 1981. Falando do Terceiro Segredo de Fátima, não aludiu a nada que se

parecesse com uma tentativa futura de assassínio (que em 2000 o Vaticano anunciou que era o tema da parte final do Segredo que Nossa Senhora revelou em Fátima em 1917), mas antes a um castigo iminente e a uma tribulação à escala mundial.

O Santo Padre implicou que o mal é a força por detrás dos elementos contidos no Terceiro Segredo. Os temas aludidos aqui pelo Santo Padre estão de acordo com os que os maiores investigadores de Fátima consideram ser a substância do verdadeiro Terceiro Segredo de Fátima, e são discutidos em pormenor no artigo O autêntico Terceiro Segredo.

Notas:

 

  1. Este texto foi originalmente publicado em alemão no número de Outubro de 1981 de Stimme des Glaubens. Foi apresentado como um relatório fiel do encontro entre Sua Santidade João Paulo II em um grupo escolhido de Católicos alemães em Fulda, durante a sua visita à Alemanha no mês de Novembro anterior. Lê-se na introdução ao artigo: “Sabemos o nome do jornalista e também que este documento é autêntico.” A tradução para inglês foi feita pelo Rev.

  2. Crowdy para a revista Approaches, editada pelo Sr. Hamish Fraser, da Escócia. Foi traduzido da revista italiana publicada em Roma pelo Padre Francesco Putti. Ambas as revistas são fidedignas.

Artigos relacionados:

 

O autêntico Terceiro Segredo

O Terceiro Segredo completamente revelado Na série de “Testemunhos publicados”:

O Padre Fuentes (1957)      Neues Europa (1963)

O Padre Alonso (1975-1981)    A carta da Irmã Lúcia (1982)

O Bispo de Fátima (10 de Setembro de 1984)   O Cardeal Ratzinger (Novembro de 1984) Outras testemunhas (1930’s – 2003)

 

Fonte: www.fatima.org

Testemunhos publicados:

 

Outras testemunhas (1930’s – 2003)

Se, como parece ser o caso – e como milhões de Católicos responsáveis acreditam

– o Terceiro Segredo tem alguma coisa mais, além da visão de um “Bispo vestido de branco,” revelada em 26 de Junho de 2000, sem qualquer explicação de Nossa Senhora de Fátima sobre como se deve interpretar, então o que é que está na parte do Segredo que falta? Além dos testemunhos publicados que se encontram neste site da Internet (incluindo os do Padre Fuentes, do Padre Alonso, da Irmã Lúcia, do Cardeal Ratzinger, etc.), os depoimentos das testemunhas que se seguem também ajudará a responder a esta pergunta.

 

Monsenhor Eugenio Pacelli (o futuro Papa Pio XII) (1930’s)

 

O Cardeal Eugenio Pacelli, Secretário de Estado no pontificado de Pio XI, antes de ser elevado ao papado em 1939 com o nome de Pio XII, fez a seguinte profecia espantosa sobre uma futura convulsão na Igreja:

Suponha, caro amigo, que o Comunismo [um dos “erros da Rússia” mencionados na Mensagem de Fátima] era apenas o mais visível dos instrumentos de subversão a ser usados contra a Igreja e as tradições da Revelação Divina […] As mensagens da Santíssima Virgem a Lúcia de Fátima preocupam-me. Esta persistência de Maria sobre os perigos que ameaçam a Igreja é um aviso do Céu contra o suicídio de alterar a Fé, na sua liturgia, na sua teologia e na sua alma. […] Ouço à minha volta inovadores que querem desmantelar a Capela-Mor, destruir a chama universal da Igreja, rejeitar os seus ornamentos e fazê-la ter remorsos do seu passado histórico.

Chegará um dia em que o mundo civilizado negará o seu Deus, em que a Igreja duvidará como Pedro duvidou. Ela será tentada a acreditar que o homem se tornou Deus. Nas nossas Igrejas, os Cristãos procurarão em vão a lamparina vermelha onde Deus os espera. Como Maria Madalena, chorando perante o túmulo vazio, perguntarão: “Para onde O levaram?”1

          O Padre Joseph Schweigl (Setembro de 1952)

 

Em 1952, o Papa Pio XII confiou ao Padre Joseph Schweigl uma missão secreta: interrogar a Irmã Lúcia sobre o Terceiro Segredo. Ele declarou mais tarde:

Não posso revelar nada do que ouvi sobre Fátima no que respeita ao Terceiro Segredo, mas posso dizer que tem duas partes: uma fala do Papa; a outra, logicamente (embora eu não deva dizer nada), teria de ser a continuação das palavras: ‘Em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé.’2

 

O Cardeal Oddi (Março de 1990)

 

Em 17 de Março de 1990, o Cardeal Oddi, que fora amigo pessoal do Papa João XXIII e que lhe tinha falado do Segredo, fez o seguinte depoimento ao jornalista italiano Lucio Brunelli no jornal Il Sabato:

Ele [o Terceiro Segredo] não tem nada a ver com Gorbachev. A Santíssima Virgem estava a avisar-nos contra a apostasia na Igreja.3

 

O Cardeal Ciappi

 

Numa comunicação pessoal a um certo Professor Baumgartner em Salzburgo, o Cardeal Mario Luigi Ciappi, que foi o teólogo pessoal dos Papas João XXIII, Paulo VI, João Paulo I e João Paulo II, revelou:

No Terceiro Segredo prediz-se, entre outras coisas, que a grande apostasia na Igreja começará pelo cimo.4

 

O Padre Malachi Martin (Verão de 1998)

 

Numa entrevista de quatro horas no programa de rádio de Art Bell, o Padre Malachi Martin declarou que em Fevereiro de 1960, sendo ele Secretário do Cardeal Bea (um dos assessores mais próximos do Papa João XXIII), lhe deram a ler o Terceiro Segredo de Fátima. Embora tivesse jurado não revelar o Segredo, comentou várias versões diferentes que os ouvintes do programa lhe citaram. Disse que as palavras de Nossa Senhora eram sóbrias e específicas. Em resposta a uma citação segundo a qual um Papa ficaria sob o controlo de satanás, respondeu: “Sim, parece que estavam a ler o texto do Terceiro Segredo.” Mais disse que a divulgação do Segredo provocaria reacções fortes. E que se o Segredo viesse a público, os confessionários e as igrejas ficariam cheias de paroquianos de joelhos. Também disse que há uma coisa mencionada no Segredo que é muito relevante para os Estados Unidos. Acrescentou que o elemento central do Segredo é horrível, e refer-se a uma apostasia.

 

O Padre José Valinho (2000 e 2003)

 

Finalmente, temos o sobrinho da Irmã Lúcia, Padre José dos Santos Valinho. Deu a sua opinião sobre o conteúdo do Terceiro Segredo num livro de Renzo e Roberto Allegri intitulado Reportage su Fatima [Milão, 2000], que foi publicado – muito providencialmente – pouco antes da revelação da visão que supostamente era o Terceiro Segredo e da publicação do livrinho intitulado A Mensagem de Fátima pelo Cardeal Ratzinger e pelo Arcebispo Bertone. O Padre Valinho declarou:

Creio que (a terceira) parte do Segredo refere-se à Igreja por dentro, talvez dificuldades doutrinais, uma crise de unidade, rebelião. A última frase que a minha tia escreveu, que antecede a parte que ainda é desconhecida, diz: ‘Em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé.’ … Portanto, os membros da Igreja noutros lados poderão afastar-se do dogma. Mas isto é apenas especulação.5

Em 14 de Fevereiro de 2003, o Padre Valinho referiu-se novamente ao Terceiro Segredo no programa ENIGMA, transmitido em horário nobre pela RAI, a estação nacional de televisão da Itália. Disse o Padre Valinho nesta ocasião:

Creio que há uma ligação entre o que é anunciado na primeira parte do Segredo, que se refere a guerras e sofrimentos por toda a parte, e a segunda parte, que se refere às perseguições e uma espécie de perda da Fé. Porque aquelas reticências (os três pontinhos, “…”), onde estão, indicam: “Aqui está a terceira parte, que não está revelada”, e a seguir a conclusão: “Em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé etc.” Isto sugere-me que há uma relação entre a Fé e a terceira parte do Segredo. Portanto, é qualquer coisa a ver com a Igreja. É alguma espécie de crise universal que afecta toda a Igreja e toda a humanidade.6

Notas:

 

  1. Papa Pio XII, citado em Monsenhor Roche, Pie XII devant L’Histoire, pp. 52-53.

  1. Frère Michel de la Sainte Trinité, The Whole Truth About Fatima, Vol. III, Immaculate Heart of Mary Press, Buffalo, NY, 1989, pg. 710.

  1. Kramer, Rev. Paul, ed., The Devil’s Final Battle, The Missionary Association, Terryville, Connecticut, 2002, p. 33 (ed. portuguesa, O derradeiro combate do demónio, The Missionary Association, Buffalo, NY, 2003, p. 29).

  1. Cf. Padre Gerard Mura, “The Third Secret of Fatima: Has It Been Completely Revealed?”, no jornal Catholic, (publicado pelos Redentoristas Transalpinas, Ilhas Orkney, Escócia, Grã-Bretanha) Março de 2002.

  1. Ibid.

  1. Relatado em The Fatima Crusader, Nº 74, p. 76.

Artigos relacionados:

Na série “Testemunhos publicados”:

O Padre Fuentes (1957)    Neues Europa (1963)

O Padre Alonso (1975-1981)   O Papa João Paulo II em Fulda, Alemanha (1980)

A carta da Irmã Lúcia (1982)   O Bispo de Fátima (10 de Setembro de 1984)

O Cardeal Ratzinger (Novembro de 1984)

 

Fonte: www.fatima.org

Testemunhos publicados:

 

Neues Europa (1963)

Em 1963, o jornal alemão Neues Europa publicou o que afirmava ser “um extracto” do Terceiro Segredo de Fátima. O texto deste “extracto” era precedido pela seguinte introdução do editor, Louis Emrich:

Fiz tudo o que era possível para conseguir obter o texto original da terceira mensagem de Fátima, mas todos os meus esforços foram inúteis. O Vaticano determinou que este documento ficasse em segredo papal até nova ordem.

Todavia, estou hoje na posição de comunicar aos leitores de Neues Europa em todos os países um extracto do conteúdo do Terceiro Segredo, na forma que circula por informações discretas nos meios diplomáticos de Washington, Londres e Moscovo …

O editor acrescenta que o “extracto” foi lido pelo Presidente Kennedy, pelo Primeiro-Ministro britânico MacMillan e pelo dirigente soviético Khrushchev, e que levou à assinatura do acordo anglo-americano-russo em Moscovo. Conclui afirmando que “embora este documento não seja o texto original da mensagem de Fátima, tal como foi revelada em 13 de Outubro de 1917 pela Mãe de Deus à pequena vidente Lúcia, mesmo assim encontram-se aqui pontos essenciais do original.”

 

O extrato do Neues Europa do Terceiro Segredo

 

Eis aqui o “extracto” do Terceiro Segredo de Fátima que foi publicado por Neues Europa:

“Era o dia 13 de Outubro de 1917. Naquele dia, a Santíssima Virgem apareceu pela última vez aos pequenos videntes Jacinta, Francisco e Lúcia, no fim de uma série que compreendeu ao todo seis aparições. Depois da manifestação do Milagre do Sol em Fátima, a Mãe de Deus revelou a Lúcia uma mensagem secreta especial, em que dizia, em particular:

“‘Não tenhas medo, querida filha. É a Mãe de Deus quem te fala e te pede para proclamares em Meu nome ao mundo inteiro a seguinte mensagem. Ao fazeres isto, encontrarás grande hostilidade. Mas mantém-te firme na Fé e vencerás esta hostilidade. Ouve, e nota bem o que Eu te digo: os homens têm de ser melhores. Devem implorar a remissão dos pecados que cometeram e continuarão a cometer. Pedes-me um sinal miraculoso para que todos possam compreender as palavras com que, através de ti, me dirijo à humanidade. Este milagre que acabaste de ver era o grande Milagre do Sol!

Toda a gente o viu – crentes e descrentes, gente do campo e da cidade, doutores e jornalistas, leigos e padres. E agora, anuncia isto em Meu nome:

“‘Um grande castigo cairá sobre a humanidade, hoje ainda não, nem sequer amanhã, mas na segunda metade do Século XX. O que Eu já revelei em La Salette através dos meninos Mélanie e Maximino, repito hoje diante de ti. A humanidade não se

desenvolveu como Deus esperava. A humanidade extraviou-se e calcou aos pés os dons que lhe foram dados. Não há ordem em nada. Até nos cargos mais altos, é satanás que governa e decide como dirigir os assuntos. Ele até saberá como chegar aos mais altos cargos da Igreja. Conseguirá semear a confusão nas mentes dos grandes cientistas, que inventarão armas com que metade da humanidade pode ser destruída em alguns minutos. Se a humanidade não deixar de prevaricar e se converter, Eu serei forçada a deixar cair o braço do Meu Filho. Se os que estão no poder, no mundo e na Igreja, não se opõem a esses desatinos, serei Eu quem terá de o fazer, e pedirei a Deus, Meu Pai, que mande a Sua justiça à humanidade.

“‘Virá também um tempo das maiores tribulações para a Igreja. Cardeais estarão contra Cardeais e Bispos contra Bispos. Satanás colocar-se-á no meio deles. Também em Roma haverá grandes mudanças. O que está apodrecido cairá, e o que cair não será mantido. A Igreja escurecer-se-á e o mundo cairá na confusão.

“‘Deus irá castigar os homens ainda mais forte e rigorosamente do que quando o fez por meio do dilúvio, e os grandes e poderosos perecerão juntamente com os pequenos e fracos.

“‘A maior Guerra Mundial acontecerá na segunda metade do Século XX. Então fogo e fumo cairão do céu, e as águas dos oceanos converter-se-ão em vapor, atirando a sua espuma para o céu; e tudo o que está de pé será derrubado. Milhões e milhões de homens perderão as suas vidas de uma hora para outra, e os que ficarem vivos hão-de invejar os que morreram. Haverá tribulação até onde a vista alcança, e miséria por toda a terra e desolação em todos os países.

“‘O tempo está a aproximar-se continuamente, o abismo está cada vez mais largo, e não há um fim à vista. Os bons morrerão com os maus, os grandes com os pequenos, os príncipes da Igreja com os seus súbditos. Os acólitos de satanás serão então os únicos soberanos na terra.

“‘Será um tempo que ninguém espera, nem rei nem imperador, nem Cardeal nem Bispo, mas todavia virá, segundo o plano do Meu Pai para castigar e obter vingança. Mais tarde, porém, quando os que sobreviverem a isto ainda estiverem vivos, Deus e a Sua glória serão invocados mais uma vez, e Ele será novamente servido como ainda não há muito tempo era, quando o mundo ainda não se tinha corrompido.

“Exorto todos os verdadeiros imitadores do Meu Filho, Jesus Cristo, todos os verdadeiros Cristãos e apóstolos dos últimos dias! Chegou o tempo dos tempos e o fim de tudo, se a humanidade não se converter, e se esta conversão não vier de cima, dos chefes do mundo e dos chefes da Igreja. Mas ai deles! Ai deles se esta conversão não se faz, e se tudo ficar como está, não, se tudo fica ainda pior!

“Vai, Minha filha, e proclama isto! Estarei sempre ao teu lado para te ajudar”

Esta foi a primeira versão do “segredo” a ser amplamente difundida, depois de o

Vaticano anunciar em 1960 que Terceiro Segredo de Fátima ficaria “por revelar.” Emrich afirmou que era um “extracto da terceira mensagem de Fátima (sic) … que circula nos meios diplomáticos.” O Padre Messias Coelho, que é uma autoridade reconhecida das aparições de Fátima, deu-lhe crédito com base na autoridade de um Cardeal, que disse que corresponde fundamentalmente ao verdadeiro Segredo. Todavia, deve ter-se em conta que o texto acima reproduzido não é um extracto do verdadeiro Terceiro Segredo – há graves problemas de credibilidade na versão do Neues Europa, como Frère Michel indicou:

  1. O Terceiro Segredo foi escrito numa folha de papel. A visão revelada pelo Vaticano em 26 de Junho de 2000 estava escrita em quatro páginas e tinha um total de 297 palavras.

Ora estes “extractos” publicados em Neues Europa têm, ao todo, 797 palavras na tradução inglesa. Assim, é impossível que a Irmã Lúcia tenha podido escrever as quase 800 palavras deste extracto numa pequena folha de papel, quando precisou de quatro páginas para escrever a visão, que tem menos de metade dessas palavras.

  1. Embora seja um extracto, não há ligação entre este texto e as palavras conhecidas de Nossa Senhora no Terceiro Segredo: “Em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé etc.”

  1. “Era o grande Milagre do Sol! Toda a gente o viu – crentes e descrentes, gente do campo e da cidade, doutores e jornalistas, leigos e padres.” O texto do primeiro parágrafo das palavras de “Nossa Senhora” é tirado, palavra por palavra, do famoso livro do Cónego Barthas Fátima, maravilha do Século XX. Esta coincidência é mais plágio que milagre.

  1. Em 13 de Julho de 1917, Nossa Senhora disse: “Isto (o Segredo) não o digais a ninguém. Ao Francisco, sim, podeis dizê-lo.” Aqui, Ela alegadamente diz: “Anuncia isto” (primeiro parágrafo) e “Proclama isto” (último parágrafo).

  1. Segundo este extracto, Nossa Senhora disse: “Viram o Milagre do Sol” às crianças quando lhes deu o Terceiro Segredo. Ora Ela deu-lhes o Segredo em 13 de Julho de 1917, mas o Milagre do Sol ocorreu em 13 de Outubro de 1917.

  1. Não houve nenhuma guerra maior que a que foi predita no Segundo Segredo na segunda metade do Século XX.

Com tais provas contra a credibilidade deste “extracto,” devemos concluir que não é autêntico. Contudo, Frère Michel, que considerou que esta fraude se baseava nas profecias de La Salette, concluiu que “não deixa de ter interesse, porque … exprimiu realmente, e de maneira marcante, certos temas do verdadeiro Terceiro Segredo.” Embora o texto que Neues Europa publicou não seja o Terceiro Segredo, o núcleo da mensagem é muito semelhante. Temos como prova disto o testemunho de Monsenhor Corrado Balducci, um eclesiástico do Vaticano há mais de quarenta anos, que declarou que, quando perguntaram ao Cardeal Ottaviani se o relato de Neues Europa devia ser publicado, o Cardeal, que lera o Terceiro Segredo – e que tinha uma personalidade seca e era basicamente indiferente à maioria das aparições – exclamou muito enfaticamente: “Publiquem 10.000 exemplares! Publiquem 20.000 exemplares! Publiquem 30.000 exemplares!”

 

Notas:

 

  1. Frère Michel de la Sainte Trinité, The Whole Truth About Fatima, Volume III: The Third Secret, (Immaculate Heart Publications, Buffalo, New York, 1990) pp.642-647; de Neues Europa, Nº 20, 15 de Outubro de 1963, Stuttgart, p. 5.

2.Ibid., p. 655.

Artigos relacionados:

Na série “Testemunhos publicados”:

O Padre Fuentes (1957)     O Padre Alonso (1975-1981)

O Papa João Paulo II em Fulda, Alemanha (1980)       A carta da Irmã Lúcia (1982)

O Bispo de Fátima (10 de Setembro de 1984)    O Cardeal Ratzinger (Novembro de 1984) Outras testemunhas (1930’s – 2003)

 

Fonte: www.fatima.org

Publicações Relacionadas

Leave a Comment