A flor mais bela

A flor mais bela

 

 

Qual é a flor mais bela do Paraíso e da Terra?

Qual é, Meu filho, a obra mais bela da Criação?

Qual é, Meu filho, que é mais querido pela Trindade Divina?

É o Coração Imaculado da Minha Mãe e vossa Mãe, objeto do amor eterno de Deus, Uno e Trino.

Pois bem, do que lhes é mais querido a Seu Coração, Deus quis conceder um presente a vós.

Uma flor maravilhosa e perfumada, tem nela os perfumes de todas as virtudes, uma flor que não tem competição nem no Céu nem na terra, tanto que é separada por sua beleza dos Anjos e de todas as criaturas da terra.

Deus tem olhado para Ela desde sempre, Deus a amou e fez Dela o objeto de suas complacências desde sempre; Deus a quis junto Dele para a realização de Seu infinito projeto de Amor. Fez Dela Corredentora, Mãe, Rainha, tornou-a poderosa.

Diante Dela, se submetem as hierarquias angélicas e as gerações humanas a chamam de Bem-Aventurada.

Deus amou os homens ao ponto de dar a eles Seu Filho e depois do Filho, a Mãe. Mas os homens nem sempre demonstraram e demonstram ter compreendido o presente de Deus.

Flor feita de imaculado candor, de pureza, de amor, de generosidade. Flor única no Céu e na terra, nunca haverá outra igual. Ela é a verdadeira obra-prima de Deus, comparada com a qual tudo é descolorido e tudo é pouco.

Pois bem, esta Mãe tem uma capacidade de amor que não tem limites. Aqueles que não admitem isso, porque dizem que não acreditam nas numerosas intervenções de Minha Mãe em favor da humanidade peregrina na terra, não sabem o que é o amor; seu coração está árido, sua mente está escurecida a ponto de não ver.

 

Não conheceis o Amor

 

Já te disse que fé, esperança e amor não podem estar nunca separados, são (um pouco como as Pessoas da Santíssima Trindade) distintas, mas unidas porque são uma em três. Como poderia ser de outra forma? São virtudes sobrenaturais participadas na alma de todo cristão pelo próprio Deus, de modo que o cristão se torna filho de Deus, participante de Sua natureza e, portanto, semelhante a Deus.

Pobres filhos Meus, pobres sacerdote, que mísera vida é a vossa, não conheceis o Amor! Que triste vida é a vossa; Não conheceis a causa motriz da alegria e da esperança! Não conheceis a força que faz superar as provações e as dificuldades; Que natureza corrupta é a vossa!

O mundo e o demônio continuamente colocam obstáculos no vosso caminho; É por isso que estais frequentemente no chão. Por que estais inquietos e rebeldes? Porque onde não há amor há ressentimento que degenera, até mesmo em Meus ministros, não raras vezes em  ódio.

Não filhos, não há zonas neutras ou se está na área do infinito Amor de Deus, ou se está na área do Inimigo de Deus e do homem, isto é, de Satanás.

Portanto, não acreditar ou mesmo duvidar das numerosas intervenções de Minha Mãe a favor da humanidade (intervenções sempre feitas de acordo com a necessidade dos tempos) é como negar a essência de Deus que é Amor, e a realidade da Flor mais bela da terra e do Céu, que é o Coração Imaculado de Minha Mãe.

O amor tende necessariamente ao objeto amado, o amor se volta sobre o objeto amado. Não entender isso é não entender a natureza do amor.

Já tenho lamentado o comportamento da hierarquia sobre este ponto sobre o qual não foi dada a devida importância. Não se indagou suficientemente nem objetivamente. Os julgamentos dados por muitos Bispos foram condicionados por medos, por medos pessoais, pelo medo de comprometer-se etc.. Não se buscou a verdade, sómente a verdade, despojando-a de todo o elemento estranho. Sempre o terrível eu aflora em todas as ocasiões, o medo da responsabilidade, em resumo, eles mesmos primeiro, os interesses de Deus e das almas depois …

Quanto tempo perdido, quantas almas obstaculizadas, quantas sentenças injustas! De quanto bem foram privadas tantas almas! É tremenda a responsabilidade dos que tem a autoridade para indagar, de julgar com a verdade e justiça e não com a covardia e a injustiça. Com mentiras se comportam quando se antepõe sua própria pessoa aos verdadeiros interesses de Deus. Com injustiças sem causam danos as almas com injustas condenações.

 

Amor sem medida

 

Filho, gostaria de fazer-te compreender com uma comparação o grandioso plano de Amor do teu Senhor:

 

Imagine pais que têm um único filho que o amam loucamente e formam o objeto, o propósito de sua vida. Pois bem, um dia eles são convidados a dar esse filho para salvar muitas outras criaturas humanas da morte.

Esses pais, ainda amando com um amor indescritível ao filho, assinam eles mesmos a morte. O filho, que por sua vez ama seus pais desproporcionalmente, concorda em se sacrificar por tantos de seus irmãos. Amor sem medida do pai e da mãe pelo filho, amor sem medida do pai e da mãe pelos condenados a morrer sem o sacrifício do filho, amor sem medida do filho por seus pais e por seus irmãos menores para salvá-los.

O amor tende a dar e a dar-se, Deus ama infinitamente o Filho e o dá para a salvação da Humanidade, o Filho ama o Pai infinitamente e aceita morrer pela humanidade.

O Pai Celestial e a Virgem amam o Seu Filho respectivamente e dão-no para a salvação dos homens.

O amor do Filho pelo Pai celestial e pelos homens se encontra em Seu Coração Misericordioso, assim como o amor de Minha Mãe e vossa por Deus Uno e Trino e por vós se encontra em Seu Coração Imaculado. Mas o que Meus sacerdotes incrédulos sabem sobre esse Mistério do Amor?

Eis aqui a sua aridez espiritual, eis aqui porque eles não querem sofrer! O sofrimento é a alma do amor…

Isto sim foi compreendido pelas Almas Vítimas. Mas os sacerdotes o que sabem sobre isso e o que eles tem para dar para as almas se estão privados do amor?

Que coisa eles têm para dar senão a sí mesmos? Eis aqui porque buscam sempre a si mesmos embora falem hipocritamente com palavras de amor. Suas palavras elaboradas serão sempre frias e privadas de qualquer força de penetração. São uns mercenários que não fazem nada sem contentar-se a si mesmos, que não sabem o que significa adaptar-se à Vontade Divina, já que isso exige amor. 

São egoístas. Por força: são orgulhosos por tanto egoísmo, são mercenários que na manhã seguinte, quando os lobos entrarem no meio do rebanho para desmembrar as ovelhas, fugirão aos milhares, deixando atrás de si apenas ruínas.

Traíram a Deus e aos irmãos, não verão senão a si mesmos.

Como poderiam amar se nunca conheceram o amor? E isso é por culpa deles, filho, por sua culpa, porque deixaram cair no vazio os impulsos da Minha Graça.

Que tremenda visão, que zona escura estão estes Meus sacerdotes, filhos de Minha Igreja. Quanto frio e gelo ao redor deles!

“Qui non diligit manet na morte” (Aquele que não ama a seu irmão permanece na morte). Estão assim, na morte porque a alma sem amor está morta; Estão na escuridão tanto por não ver como por não crer o que as almas simples vêem e crêem, são peso morto para Minha Igreja, são membros gangrenados do Meu Corpo Místico, são um sofrimento e um dano incalculável para eles e para as almas. São ramos separados da videira, são como a figueira maldita que produz apenas folhas e nunca frutos.

Pobres filhos! O orgulho e a presunção fizeram com que perdessem o caminho firme, são incapazes de ascender às conquistas do bem, não têm forças para subir ao topo da Montanha Sagrada.

É necessário despertá-los desse sonho de morte pelo qual estão presos.

-Como, oh Senhor?

Meu filho, tu sabes: humildade, oração e sofrimento!

Com a humildade se abate a soberba, com o sofrimento se acende o fogo, e com a oração exorta a Deus à Piedade e à Misericórdia.

Filho, eis porque quero que os Bispos tentem dar vida nas Paróquias à instituição dos Meus amigos, à “Piedosa União de Amigos de Jesus Eucaristia”. Devem entender que isso é uma questão de fé e amor. É muito mais importante que outras tantas atividades para inflamar o fogo do amor, para inflamar o braseiro da fé e da caridade.

Em toda parte é possível, não importa o número daqueles que aderem, importa que em todas as Paróquias, os Meus amigos presentes no Mistério da fé e do amor, se tornem Meus aliados para salvar as almas em perigo.

É necessário que na hora da escuridão que se aproxima, as almas dos fiéis saibam onde podem ser ensinadas e alimentadas e tenham um ponto seguro para não se perderem na escuridão da noite.

Custa pouco, então faça enquanto tem tempo. Agora basta filho, que tem ouvidos para ouvir que ouça.

Te abençoo, oferece-Me os teus sofrimentos, ficas Comigo. Esta noite ficastes acordado e Me há consolado com teu amor.

 

(Mensagem de Jesus de 25 de novembro de 1975)

 

Do livro “Confidências de Jesus a um Sacerdote“, de Mons. Ottavio Michelini

 

Fonte: http://www.santisimavirgen.com.ar/michelini/mensajes.htm
via http://www.sinaisdoreino.com.br

Publicações Relacionadas

Leave a Comment