A virtude da piedade

A virtude da piedade

 

 

“É decreto da Divina Providência que os homens peregrinantes sobre a terra tenham que se comunicar com Deus o Criador, Senhor, Redentor e Santificador com sinais e meios particulares.

Estes meios são variados mas todos respondem ao objeto. Deus em vez disso pode se comunicar convosco também sem estes meios.

O uso desses meios, que regulam suas relações com Deus Criador e Senhor, é chamado de “piedade”. A piedade é uma virtude de grande importância porque serve as almas para se elevarem ao seu Criador para louvá-Lo, agradecer-Lhe, glorificá-Lo, expressar-Lhe os seus próprios sentimentos, pedir perdão pelos pecados cometidos, juntar-se às vozes de toda a Criação, para unir-se ao coro universal de todas as criaturas, animadas e inanimadas, no hino de louvor a Ele, Alfa e Ômega de tudo e de todos.

Portanto, a piedade deve ser a virtude de todas as almas. Ai daqueles que a destroem em si mesmos; extinguindo em si toda a luz divina isolando-se de Deus, permanecendo como presa cobiçada de Satanás.

Um homem sem piedade é como um homem privado de seus membros, que não pode dar e não pode receber nada de ninguém; O homem impiedoso é mutilado em sua liberdade, condenado a ser escravo de Satanás. Nas mãos de Satanás será um instrumento de perdição.

 

Já não rezam

 

Daqui emerge a importância desta virtude fundamental que o ateísmo sempre tentou destruir de qualquer maneira e por todos os meios em milhões e milhões de almas.

Hoje o ateísmo pode gabar-se com razão de ter destruído esta virtude em muitíssimos cristãos, inclusive na alma de muitos sacerdotes, religiosos e religiosas que, deslumbrados com esta absurda civilização materialista, extinguiram em si mesmos a fonte que alimentava sua vida interior, alma de toda atividade pastoral. Sem piedade, as almas se tornam áridas, transformando a Igreja de jardim em um deserto.

Quantos são os sacerdotes que já não rezam! …

Nenhuma recitação do Ofício Divino, nada de Rosário, “bom tabu para outros tempos”, nenhuma meditação. Em vez destas práticas: rádio, televisão, canções, leituras e outras das quais é melhor ficar em silêncio.

As luzes da fé, da esperança e do amor foram extintos e o processo de desintegração da vida divina está quase consumado.

Destronado Deus do espírito, foi substituído Seu posto por um progresso social mítico e por uma justiça social igualmente hipotética que jamais poderão realizar, porque está claro que nenhum progresso, muito menos qualquer justiça social, é alcançável sem a verdadeira liberdade, sem a ajuda de Deus.

 

Abrir os olhos

 

Filho, Meu vigário na terra conhece e segue a crescente fase de desintegração moral e espiritual do Meu Corpo Místico e é afligido por ele. Ele sofre porque muitos sacerdotes e até mesmo alguns bispos ficaram sem ouvir seus numerosos apelos à fé viva, à verdadeira piedade, a única fonte de fecundidade espiritual.

Não escutando o Papa não escutam a Mim; ignorando o Papa ignoram a Mim; não seguindo o Papa não seguem a Mim.

O que ainda se espera para se sacudir desta letargia?

O que ainda se espera para abrir os olhos para a realidade óbvia?

Esperais passivamente serdes sepultados sob as ruínas?

Tenho te dito, filho, como Eu gostaria que em cada Comunidade Paroquial da Pia União dos Amigos do Santíssimo Sacramento. Providenciar, sem perder tempo, para fazer chegar aos párocos que conhecem o estatuto que te dei: será um acender o fogo em muitas almas.

Reze, Meu filho, e continue a rezar.

 

(Mensagem de Jesus de 12 de dezembro de 1975)

Do livro “Confidências de Jesus a um Sacerdote“, de Mons. Ottavio Michelini

 

Fonte: http://www.santisimavirgen.com.ar/michelini/mensajes.htm via http://www.sinaisdoreino.com.br

Publicações Relacionadas

Leave a Comment